41° Livro: Passarinho - O mundo da Tutty

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

41° Livro: Passarinho


Titulo: Passarinho
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Páginas: 190
Classificação: Ficção
Frases do livro


Sinopse do livro: O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu.

Opinião: Melhor livro que li em 2016, disso tenho certeza. Comprei o livro sem saber sua história ou conhecer a autora, apenas porque estava lá na livraria, não ia nunca acreditar que seria o melhor livro até hoje. Desde a primeira página até a última meu coração sofria de taquicardia, se reconstruía e despedaçava ao mesmo tempo, sofria e sorria.
 Joia nasceu exatamente no dia que seu irmão John - apelidado pelo avô de passarinho - se jogou do penhasco da cidade, por isso odeia seu nome, seu aniversário, ás vezes sua família que também odeia o penhasco por achar que é amaldiçoado. O avô de Joia carrega também a maldição do dia que John morreu, desde então ele não fala, e a família discute por tudo na casa, todos sofrem por causa desse dia.
Hoje Joia tem 12 anos, é uma menina doce, inteligente, mas solitária e triste com tudo que sua vida carrega e só tem uma coisa consigo, o penhasco.
A família de Joia não quer que ela vá ao penhasco, pois acreditam que é amaldiçoado, que existe Duppy que influenciaram John a pular de lá. Joia em contrapartida ama o penhasco, ela não sabe dizer o que sente, mais se sente muito bem lá, é o seu lugar. Todo aniversário seu, ela vai no penhasco e coloca mais uma pedra no seu circulo - e aqui onde ela pensa, conversa, sorri e chora-  ela acha que o penhasco fala com ela. Ela acaba conhecendo nessas idas e vindas Eugene, que se passa por nome John, e ficam grandes amigos. Joia divide com Eugene suas dores, sofrimentos, ideias, mesmo ele escondendo tantos segredos. Mas ao fim descobre um no outro a metade que faltava.
Tudo que Joia queria era que sua família parasse de sofrer, de esconder tantos segredos, que a amassem mais, que seu avô voltasse a falar, e que pudessem reconstruir sua família. Mas depois que Eugene entra na vida deles tudo parece desmoronar.
Existe muito mais moral na história de John e Joia do que se pode aparentar o enredo, são tantas lições a serem aprendidas... A história foi tão bem escrita, os personagens tão bem formulados, os sentimentos tão bem expressos que mais parecia uma história real quando li, e me perguntei a trama toda se não seria. Os pensamentos que Joia tinha durante a história eram exatamente o que eu tinha na mesma idade dela sempre que havia brigas em casa. A cada página era uma surpresa, uma lição. Ao fim quando achamos que está tudo acabado, a trama dá mais uma reviravolta e mais uma surpresa.


Alguém já leu esse livro? O que acharam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário