46° Livro: Conversando com os espíritos - O mundo da Tutty

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

46° Livro: Conversando com os espíritos


Titulo: Conversando com espíritos
Ano: 2006
Editora: Sextante
Páginas: 112
Classificação: Espiritismo

Sinopse do livro: Com a rara habilidade de interligar o mundo físico e o espiritual, James Van Praagh proporciona imenso conforto àqueles que perderam seus entes queridos, trazendo mensagens inspiradoras e desvendando os mistérios da vida após a morte. 
Em Conversando com os espíritos, você conhecerá histórias de pessoas que, com a ajuda do autor, conseguiram fazer contato com parentes mortos e deram novos rumos a suas vidas - como a mãe que ouviu do filho um pedido de desculpas pelo próprio suicídio e o reencontro de um homem com sua esposa falecida, no qüinquagésimo aniversário de casamento. 
Além de surpreendentes relatos como esses, Van Praagh conta a sua jornada em busca do autoconhecimento. Ainda na juventude, ele descobriu a capacidade de se comunicar com os mortos. Aqui ele revela como conseguiu aperfeiçoar seus dons para dar início à carreira como médium. 
Com ensinamentos e depoimentos comoventes, o autor nos ajuda a lidar com a dor da perda, ensinando técnicas para desenvolver o sexto sentido, conhecer nossos espíritos-guias e identificar os sinais que vêm do outro lado. 
Abra seu coração e deixe este livro mudar para sempre a sua maneira de encarar a vida - e a morte.


Minha opinião: Para quem já leu, como eu, vários livros do autor, já não é surpresa o assunto ou a forma como ele revela ou lida com eles. O que para algumas pessoas pode ser monótono. Porém quem gosta do assunto, quem se sente melhor com cada relato de pessoas que ele ajudou, sabe que por mais que nada mude, cada página é diferente. Veja todas as resenhas dos livros dele, clicando no nome do autor logo acima.
Nesse livro especificamente o autor fala sobre as transições daqueles que morreram por alguma doenças como aids, câncer, suicídio e acidentes fatais. Explica sobre as habilidades de cada médium, que já foi relatado em outros livros dele e como ele sempre finaliza seus últimos capítulos com formas de relaxamento, meditação e de entrar em contato com seu ente querido falecido.
Os livros do autor nunca serão ruins, pois sempre terão novas histórias de suas sessões, e é a parte que eu mais gosto do livro, porém para quem comprou quase todos os livros dele, algumas coisas se tornam repetitivas. Mesmo assim um bom livro.

Vocês já leram o livro?  O que acharam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário