Livro 56° : O maior amor do mundo - O mundo da Tutty

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Livro 56° : O maior amor do mundo


Titulo: O maior amor do mundo
Ano: 2013
Editora: Arqueiro
Páginas: 314
Classificação: Ficção Americana/ Romance

Sinopse: Ella Beene encontrou a felicidade há três anos, quando parou ao acaso na pequena Elbow e conheceu Joe, que cuidava sozinho dos filhos. Logo os dois estavam casados e a vida parecia perfeita. Até que um dia Joe desobedeceu à sua própria regra – “jamais dar as costas para o mar” – e morreu afogado enquanto tirava fotos nas rochas.
Ella sempre acreditou que Paige, a ex-mulher de Joe, simplesmente abandonara o marido e os filhos. Mas, para sua surpresa, Paige aparece no funeral querendo as crianças de volta. É quando Ella percebe que Joe não lhe contou tudo sobre seu primeiro casamento.
Trilhando caminhos diferentes, as duas mulheres se encontram na mesma encruzilhada, disputando a guarda das crianças que amam e buscando respostas para seus conflitos emocionais.
O Maior Amor do Mundo é um mergulho no complexo universo da maternidade, com seu afeto incondicional e muitas vezes doloroso. Uma história tecida em cores vívidas e um guia cativante das emoções humanas – da dor e da raiva, da vergonha e do perdão, da tristeza e da esperança que sonha se transformar em felicidade.


Minha opinião: Poucos livros contam uma verdade sobre uma história de adoção por amor. Eu que já participei de uma situação muito parecida, pude vivenciar a história de novo, e no lugar da Annie e de seu irmão, pude ver uma menininha linda que acompanhei desde o nascimento quando a mãe rejeitou e depois de três anos começou a ameaçar a mãe que um dia pegou o bebê para dar amor. Os finais foram diferentes mas o sentimento é exatamente esse. No caso que presenciei a mãe adotiva não deu liberdade da mãe voltar a tona, porque ela sabia que a mãe biológica só queria dinheiro e não a filha.
Incrível como o livro tocou em um assunto sensível e questionável! Amor de mãe só pode ser da mãe biológica ou a mãe que cria pode sentir o mesmo amor? Eu tenho uma mãe em minha vida que carrego para onde for, foi quem me criou desde pequenininha, minha vó Si. O sentimento que tenho por ela não é de avó, é o sentimento de mãe. Assim como conheço vários casos de adoção que as filhas ficaram a cara dos pais adotivos, o amor de mãe biológica, e que você jamais diria ser adotada, porque no fim não existe diferença de amor, apenas é verdadeiro.
Mas depois de dizer como eu me afeiçoei a história, preciso falar como a leitura foi agradável!  Meio cansativa nos primeiros capítulos, mas logo quando Paige aparece tudo pega fogo até o final!
Joe filho tinha um relacionamento com Paige onde teve Annie e Zach. A gravidez dos dois filhos foi bem complicado, pois Paige teve depressão pós-parto. Paige que já tinha um passado bem transtornado com a mãe, não queria que tudo se repetisse aos filhos. Então, Paige abre mão dos seus filhos, entrega a Joe e some. Tempos depois Joe começa um novo relacionamento com Ella, onde cuida dos filhos de Joe como se fosse dela.  O que Ella não sabe e que Paige não sumiu por completo, Joe guarda muitos segredos que só vem a tona depois que Joe morre após um acidente. Paige aparece querendo a guarda dos filhos. Emma não aceita perder mais ninguém. Ao mesmo tempo que começa a batalha judicial, Ella tem mais uma batalha por fora, lidar com todos os segredos da familia Capozzi vindo a tona, inclusive os de Joe. Ella descobre que Paige escrevia cartas para seu marido e filhos que nunca foi aberta, cartas essa que ela resolve entregar a justica e que também faz a mesma perdeer a guarda dos filhos. Quando nada parecia piorar, Paige resolve morar longe com os filhos e resolve não ajudar nessa guarda compartilhada. Muita coisa acontece então, momentos delicados que levaram a uma dessas mães ficarem com seus filhos e a outra não, ou quem sabe elas duas consigam achar um jeito de fazer esse relacionamento entre duas mães e filhos darem certo! Posso apenas dizer que o final foi inesperado, emocionante e eu amei.
Eu desde o inicio torci para que Ella ficasse com os filhos, mesmo que o afastamento de Paige tenha sido bem justificado na história, eu ainda podia ver a Paige como a bruxa má da situação. Achei toda a história da família Capozzi muito interessante e que deu detalhe e realismo no livro. E por fim, nunca achei que esse fosse o final, o que fiquei muito surpresa.

O que vocês acharam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário