5 livros que viraram filmes - O mundo da Tutty

sexta-feira, 3 de março de 2017

5 livros que viraram filmes

Quem não fica curioso para saber se estragaram ou arrasaram com a transformação de um dos nossos livros para filme?! Então vai ai cinco filmes de livros:

1- Cidades de Papel


Sinopse: A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.
Minha opinião:  Ao contrário de muitos livros que viraram filmes, esse segue quase que exatamente a história do livro. Com poucos cortes de cenas do livro que não aparecem no filme, todo o resto tem o enredo de John Green. Porque vai por mim, já vi muito livro virar filme, que fico me perguntando se o diretor do filme, se deu ao trabalho de ler o livro.
Não conhecia a Cara (Margo) antes desse filme, mas quem se apaixonou por Nat Wolff em " A culpa é das estrelas", não pode deixar de assistir esse filme é da mais uma estrelinha de emoção ao ver ele no papel de Quentin, o personagem principal.
Não tenho costume de assistir a filmes que foram retratados de livros, porque sempre me decepciono com o filme, mas esse está top!

2- Veronika decide morrer


Sinopse: Veronika (Sarah Michelle Gellar) é uma jovem de 28 anos que, aparentemente, tem uma vida perfeita: possui um bom apartamento em Nova York, é bonita e tem um ótimo emprego. Porém ela sente um vazio dentro de si mesma, sem conseguir entendê-lo. Sem conseguir entender o significado de sua vida, ela decide se suicidar tomando vários remédios. Duas semanas depois, Veronika desperta do coma e percebe que está em uma clínica para doentes mentais. Lá ela é informada que sua tentativa de suicídio fez com que seu coração parasse, gerando ferimentos que jamais se recuperarão. Sem saber ao certo quanto tempo ainda lhe resta, ela decide viver de uma forma inteiramente diferente do que vinha fazendo até então.
Opinião: Assistir esse filme por ser baseado no livro de Paulo Coelho. Lançado em 2009, o drama é muito parecido com o livro, apenas mais resumido, o que já é bem normal. Pior seria, se o roteiro não tivesse nada haver com o livro, como já aconteceu com vários livros por ai.
Veronika é uma personagem que muito vivem por ai, bem sucedida, com trabalho, vida estável mas sem significado, e por isso tenta o suicídio dá forma mais "banal", a base de comprimidos. Esse filme mostra a realidade de boa parte da população que sofre de depressão e em algum momento, decide dar fim a doença e principalmente a vida. É para quem já conviveu com a doença ou com alguém que tenha a doença, vai se identificar com o filme. Pode parecer no meio do filme um pouco cansativo, mais o fim é muito lindo, afinal qual filme com final feliz não é surpreendente, ainda mais um bom final para uma doença tão triste.

3- O menino do pijama Listrado


Lançado em 12 de dezembro de 2008 com duração de 1 hora e meia. Com direção de Mark Herman.
Sinopse: Alemanha, Segunda Guerra Mundial. O menino Bruno (Asa Butterfield), de 8 anos, é filho de um oficial nazista (David Tewlis) que assume um cargo importante em um campo de concentração. Sem saber realmente o que seu pai faz, ele deixa Berlim e se muda com ele e a mãe (Vera Farmiga) para uma área isolada, onde não há muito o que fazer para uma criança com a idade dele. Os problemas começam quando ele decide explorar o local e acaba conhecendo Shmuel (Jack Scanlon), um garoto de idade parecida, que vive usando um pijama listrado e está sempre do outro lado de uma cerca eletrificada. A amizade cresce entre os dois e Bruno passa, cada vez mais, a visitá-lo, tornando essa relação mais perigosa do que eles imaginam.
Opinião: O filme é tão bom quanto o livro. Amo filmes assim, que não mudam o roteiro do livro. Alguns detalhes foram esquecidos do livro no último capitulo do filme, como Bruno está de cabeça raspada, a chuva que caiu o dia todo, a roupa esticada na lama, eles marchando na chuva e só ai entrando na sala. E partes com o soldado. Mas nada que fizesse muita diferente, porém que leu o livro sentiu falta, já que o autor deu muitos detalhes do momento no livro. 
Assim como o final do livro ficou meio confuso, como se houvesse uma continuação ou algo relacionado, já que ele não deixa claro o que aconteceu. Já para quem assistiu o filme, ficou bem claro o que aconteceu com o Bruno. Mesmo assim foi um filme excelente assim como o livro.

4- Uma carta de amor (Message in a bottle)


Sinopse: Ao caminhar pela praia, Theresa Osborne (Robin Wright) encontra uma garrafa com uma carta romântica e extremamente sincera, pois era também uma despedida, um adeus. Ela fica tão impressionada que usa os meios que dispõe trabalhando como jornalista em Chicago e tenta saber quem escreveu a carta. Ela então descobre que foi escrita por Garret Blake (Kevin Costner), um construtor de barcos da Carolina do Norte, para Catherine (Susan Brightbill), sua esposa, e, ao conhecê-lo, fica sabendo que Catherine faleceu precocemente. Em pouco tempo surge uma atração mútua entre Theresa e Garret, mas os fantasmas que ele carrega não permitem que ele viva este novo amor por completo.
Opinião: Preciso começar dizendo que o filme não é ruim! Para quem nunca leu o livro qual ele serviu de roteiro, ele pode até parecer bonzinho. Mas espie só: PORQUE DIABOS RESOLVEM FAZER UM FILME BASEADO NO LIVRO E RESOLVEM NÃO FAZER NADA DO LIVRO?!
Sempre fico me perguntando essas coisas. Preciso ser bem crítica com relação ao livro x filme! Eu tive chilique no inicio do livro, taquicardias no meio, solidão perto do fim, e sim eu chorei no final! Mais assistindo o filme a minha única fala era: o que é isso?! Porque era o que parecia! Eles pegaram o grosso do livro, e fizeram o filme. Mais o grosso mesmo, do tipo, encontrou a garrafa, se encontraram, se separaram, ele morre. Foi basicamente isso que eles pegaram o filme. Tenho a impressão que eles só leram algum resumo jogado na internet. E eu fico muito virada no 90 com isso.
Logo quando o livro começa que Theresa encontra a garrafa, ela desaba no choro, assim como eu fiz. Mais no filme ela apenas leu. Depois houve muitas diferenças. Não publicaram escondido dela a carta, mas a convenceram a fazer isso. Assim como convenceram a ir para viagem, e no filme de inicio a proibiram. Tudo começa um desastre. Quando você acha que as coisas podem melhorar assim que existir o encontro dela com Garret, vai tudo por água a baixo, e minha vontade foi parar de assistir ali. Todo sentimento e detalhes que fez toda a diferença no livro e que Nicholas ama isso, foi simplesmente esquecido no filme. Os atores não tinham ligação, não sofriam pelos seus sentimentos internos, os detalhes que nos fizeram ter taquicardia, como ele ficar olhando para Theresa pelas costas dela, enquanto ela avaliava o barco, ou as roupas que ela usou, o tipo de conversa que eles tiveram...gente tipo mudaram muito! O filme ficou péssimo a cada segundo. Outro fator tipo nada a ver no filme, era que o pai de Garret no livro, sofria do mesmo mal do filho, tinha perdido um amor, já no filme, colocaram o pai como ex-alcoólatra (tipo! Oi?!). Não existiu a viagem de ligação entre Garret e o filho de Theresa, que era algo essencial na vida dela. Não teve emoção no relacionamento que nos fizessem torcer assim como no livro para que eles ficassem juntos. Não vou nem terminar de falar para não dar muito spoiler ruim! Mais só para concluir, por favor, apenas leiam o livro e jamais assistam o filme. Porque vai ficar tipo algo tosco na sua memória.

5- A rede social


Sinopse: Em uma noite de outono em 2003, Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), analista de sistemas graduado em Harvard, se senta em seu computador e começa a trabalhar em uma nova ideia. Apenas seis anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Zuckerberg se torna o mais jovem bilionário da história com o sucesso da rede social Facebook. O sucesso, no entanto, o leva a complicações em sua vida social e profissional.
Minha opinião: É disso que eu estava falando! Um filme digno de um filme! O primeiro filme que eu digo com a boca cheia que até acredito ser melhor que o livro! Impressionante né? As poucas mudanças ocorridas no filme que diferenciaram do livro foi insignificante! Algumas cenas foram mudadas na linha do tempo, até algumas coisas foram acrescidas o que foi incrivelmente bom! Alguns mínimos trechos foram esquecidos mas que não fez diferença alguma no roteiro. Foi impressionante poder ter assistido esse filme e acreditar que cada personagem (vou logo dizendo assim, porque o filme é realmente bom) tenha lido o livro por completo! Os personagens estavam realmente compatíveis ao livro, as cenas, aos sentimentos da coisa, como eu posso dizer! Então pelo filme e todos que participaram meu digno parabéns! Será que essa perfeição ocorreu pela troca? Porque dessa vez o livro foi baseado no filme e não o inverso.
Bom Mark era só mais um nerd invisível na universidade até "terminar o namoro" em uma noite, ele encher a cara de cerveja e invadir os bancos de dados de fotos das irmandades para criar um site em que as pessoas deveriam escolher quem era a mais bela e escrever barbaridades em seu blog! Por isso Mark foi expulso. Alguns dias depois de todo o noticiário os gêmeos Winklevoss chamaram Mark para trabalhar em um site que eles queriam por no ar, sabiam da inteligência e agilidade do garoto. Porém Mark meio que passou a perna neles, melhorou a ideia e criou o The Facebook, junto com Eduardo, seu melhor amigo, quem entrou na empreitada como administrador financeiro, investido de inicio mil reais. Em pouco tempo o Facebook virou sucesso e Mark e Eduardo resolveram romper as paredes de Harvard e expandir o site para outras universidades.
Mark que já não tinha muita coisa para fazer da vida, enfiou a cara no projeto, e Eduardo mesmo sabendo do sucesso do site, não queria largar a universidade e se dividia nas duas coisas, o que ás vezes incomodava o Mark.
Tudo ia muito bem até a paranoica da namorada de Eduardo marcar uma reunião para os dois conhecerem Sean Parker (um dos criadores do Napster). Eduardo não foi com a cara dele, mas Mark saiu de lá fã de Sean. Logo depois dessa reunião tudo começou a desandar para Eduardo, mas que ele só viria a perceber bem depois.
Ao fim, Sean transforma o Facebook em um grande sucesso com grandes investidores e com isso tenta passar a perna no Mark. Mark acredita que Eduardo não está tão ligado ao projeto quando resolve aceitar o estágio e não ir para a Califórnia com ele. Eduardo só descobre ao fim que nos papeis ele nem tem mais participação no Facebook por assinar alguns documentos sem ler.
Ao final de tudo isso todo mundo vai para justiça, cada um querendo sua parte . Os Winklevoss por dizer que Mark roubou seu projeto, Eduardo também por querer seus direitos no Facebook que foi tomado por Mark e o próprio Mark se defender dizendo que não era nada daquilo. Ao fim nem tudo fica claro, quem ganha e quem perde. Mais dá pra ter uma ideia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário