Resenha 61°: O caçador de pipas - O mundo da Tutty

sexta-feira, 31 de março de 2017

Resenha 61°: O caçador de pipas


Titulo: O caçador de pipas
Autor: Khaled Hosseini
Ano: 2005
Editora: Nova fronteira
Páginas: 365
Classificação: Romance

Sinopse: "Este é um romance emocionante, envolvente, que nos cativa logo nas primeiras páginas. Livro de estréia de Khaled Hosseini, "O Caçador de Pipas" é uma narrativa insólita e eloqüente sobre a frágil relação entre pais e filhos, entre os seres humanos e seus deuses, entre os homens e sua pátria. Uma história de amizade e traição, que nos leva dos últimos dias da monarquia do Afeganistão às atrocidades de hoje. Amir e Hassan cresceram juntos, exatamente como seus pais. Apesar de serem de etnias, sociedades e religiões diferentes, Amir e Hassan tiveram uma infância em comum, com brincadeiras, filmes e personagens. O laço que os une é muito forte: mamaram do mesmo leite, e apenas depois de muitos anos Amir pôde sentir o poder dessa relação. Amir nunca foi o mais bravo ou nobre, ao contrário de Hassan, conhecido por sua coragem e dignidade. Hassan, que não sabia ler nem escrever, era muitas vezes o mais sábio, com uma aguda percepção dos acontecimentos e dos sentimentos das pessoas. E foi esse mesmo Hassan que decidiu que Amir seria, durante a batalha da pipa azul, uma pipa que mudaria o destino de todos. No inverno de 1975, Hassan deu a Amir a chance de ser um grande homem, de alterar sua trajetória e se livrar daquele enjôo que sempre o acompanhava, a náusea que denunciava sua covardia. Muito depois de desperdiçada a última chance, Hassan, a calça de veludo cotelê marrom e a pipa azul o fizeram voltar ao Afeganistão, não mais àquele que ele abandonara há vinte anos, mas ao Afeganistão oprimido e destruído pelo regime Talibã. Amir precisava se redimir daquele que foi o maior engano de sua vida, daquel dia em que o inverno foi mais cruel. "

Opinião: O caçador de pipas já tem algum tempo em minha estante, e tenho que assumi que leio os livros de acordo a minha semana emocional e capa. Por isso demorei tanto. Já tinha ouvido falar que o livro era lindo e muitas outras coisas, mas quando olhava para o nome do autor e a sinopse, sabia que eu não iria gostar do livro. Apesar de gostar de conhecer o passado, guerras e afins, tenho receio já que saber das tragédias me abala muito. Achei que o livro tinha muito mais foco no Afeganistão do que realmente aparenta. Até que um belo dia eu peguei, li as primeiras páginas e pensei em desisti. Então eu lembrei: em algum momento eu vou ter que ler este bendito livro, que seja agora. E foi. 
Não consigo nem explicar o livro, eu chorei, eu tive raiva, eu fiquei triste, foram tantos os sentimentos aflorados nessa leitura que eu me perdi. Comecei a tomar parte dos personagens.
A história se passa em Cabul, em uma época em que as regras eram bem diferentes - não que tenha deixado de ser - contando a história de Amir e Hassan. Mesmo esse sendo os personagens principais quase todo livro, do meio pro fim você consegue ver a importância dos outros personagens que por menores que sejam, tem uma história muito impressionante a se passar.
Amir era o garoto mimado da história, filho de pai rico na época, tinha tudo que queria do pai, e ainda tinha o Hassan, que apesar de se apresentar como empregado na história, tinha um valor sentimental para Amir que só descobrimos no fim do livro. Já o Hassan era motivo de piada, por ser de classe dominante e de descendência mongol, mas tinha todas as características opostas de Amir - bondade, lealdade e coragem. Os dois tinham quase a mesma idade, cresceram juntos e Amir não via Hassan como seu empregado, mas como amigo.
Certo dia, Amir e Hassan se inscrevem em um campeonato de pipas, campeonato que Amir vence e para o amigo ter a pipa que o fez campeão como um troféu, Hassan revolve correr atrás da pipa azul, e desaparece. Amir resolve ir atrás de Hassan, e quando o encontra, ele está em um beco sem saída, sendo agredido sexualmente por um grupo de princípios neonazistas, comandados por Assef. Tendo sua lealdade e coragem colocadas em prova, Amir se mostra um grande covarde, uma vez que assiste à agressão escondido, e nada faz para ajudar seu amigo, sai correndo de volta para a casa, e quando Hassan aparece com a pipa e o entrega, ele fingi que não viu nada, mesmo que as roupas de Hassan estivessem sujas, rasgadas e Hassan estivesse sangue descendo pelas pernas. Depois disso tudo desanda. Amir não consegue mais ser amigo de Hassan, porque tem ódio de não ter conseguido fazer nada para ajudar o amigo. Então ele se afasta. Mesmo isso acontecendo, Amir acha que a presença dele na casa ainda o incomoda. Amir então apronta para Hassan, fazendo com que ele e seu pai resolva ir embora do lugar da casa de Amir. Existe alguns questionamentos feito pelo pai de Amir que só vamos entender ao final do livro.
Esse momento faz toda vida de Amir mudar completamente. Ele carrega esse fardo para vida toda. Devido a guerra contra a Rússia, Amir e o pai resolvem fugir para os EUA, onde passam a viver uma vida simples em um subúrbio, comprando e vendendo coisas usadas, onde um bom tempo depois, com Amir já adulto e casado, foi o fim dos dias de seu pai, que morre com câncer.
Anos depois uma ligação faz com que a vida de Amir tenha grandes reviravoltas, os acontecimentos o levam diretamente ao seu passado, onde passa a concertar os erros que cometeu, e apesar de não poder mudar o rumo que sua vida tomou por suas decisões erradas, Amir tem a chance de compensar todo o mal que causou. Amir descobre que Hassan foi casado e teve um filho. Mas que mais uma vez Hassan foi morto defendendo o que era de Amir. Deixando seu filho em um orfanato em Cabul. E de inicio por livre e espontânea pressão, Amir tem que voltar a Cabul e salvar a vida do filho de Hassan. E para mim é ai que começa a história.
Totalmente intrigante, o livro não apresenta só o romance, mais também fala sobre a guerra do Afeganistão, não deixando ser o foco, mas que de alguma forma faz o leitor entender mais um pouco sobre o que foi tal destruição. Não deixa perder o foco da história mais cada capitulo libera um " segredo " que faz que você não queira parar de ler. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário