Livro 68°: Irmãs em Auschwitz - O mundo da Tutty

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Livro 68°: Irmãs em Auschwitz


Titulo: Irmãs em Auschwitz
Autor: Rena Kornreich Gellisen e Heather Dune Macadam
Ano: 2015
Páginas: 406
Classificação: Autobiografia, história.
Frases do livro 


Sinopse: Irmãs em Auschwitz é escrito com simplicidade e graça E o sentimento avassalador que nos toma ao finalizar a leitura é um triunfo: ainda é possível encontrar altruísmo e união entre pessoas que vivem em um lugar de horror implacável. - Los Angeles Times Book Review Uma das poucas pessoas a se entregar voluntariamente para o exército alemão e ir a um campo de concentração quando ainda se acreditava que eram apenas campos de trabalho Rena Kornreich fez parte do primeiro transporte em massa de judeus para Auschwitz e sobreviveu ao campo nazista por mais de três anos, junto a sua irmã mais nova Danka. Juntas, ambas tiveram de ser resilientes a cada a perversidade vivenciada durante o período de aprisionamento. E, a despeito da iminência da morte, das doenças, das surras e do trabalho forçado, os relatos de Rena a respeito da convivência entre as prisioneiras nos garantem que a empatia emergida dentro de cada dormitório e de cada grupo de trabalho encorajou essas mulheres a permanecerem unidas até que Auschwitz fosse libertado e suas vidas fossem devolvidas para sempre.




Opinião: O que eu poderia falar desse livro? Não é apenas uma história que você lê e depois deixa para lá! Uma história real de amor, de força, de sentimento. Impossível não derramar uma lágrima, ainda mais para quem já conhece a história de Auschwitz. Já falei de outros livros aqui como: O menino do pijama listrado, O diário de Helga e Em busca do sentido da vida. Todos eles contam a mesma história por olhos diferentes, sejam ele por crianças, por uma menina, ou por uma mulher.

"Ás vezes é o corpo que quer sobreviver, mais do que o espírito. Há dias em que o espírito foi sugado para fora e só o tempo dirá se ele vai voltar a sentir de novo, se vai voltar á vida."

A história é basicamente contada por Rena depois de anos que a guerra acabou e ela resolveu que seria bom poder contar sobre o que aconteceu. Rena era polonesa e judia, morava com os pais e sua irmã mais nova (Danka). A família de Rena é judia ortodoxa e ela acaba se apaixonando por um não judeu, o rapaz chega a pedir sua mão em casamento (naquela época por meio de cartas), mas seu amor pela família, não deixou esse amor acontecer.


A guerra começou, e a Polônia logo foi tomada pelo Nazismo, os judeus deixaram de viver aos poucos com tantas regras contra eles, as coisas vão piorando aos poucos. Rena foge exatamente quando a policia bate uma noite em sua casa, procurando-a para ser abusada, esses burburinhos já rondavam a cidade, por sorte ela consegue escapar para Eslováquia. Lá Rena encontra suas tios e conta tudo que passou. Os tios tratam ela super bem, levam para eventos sociais para que conheça pessoas, dão dinheiro para novas roupas, que ela guarda para mandar mantimentos para a família. Rena não resiste depois de um tempo em ficar longe da família e volta para Polônia, porém ao chegar lá a situação está muito pior, e Rena mais uma vez volta para Eslováquia. Chegando lá, as coisas também não estão as mil maravilhas, ela arriscou pessoas para que fizesse a travessia e chegasse na Eslováquia e agora estava pondo seus tios em perigo. Rena então decide se entregar ao exercito alemão.

Rena foi uma das que fez parte do primeiro trem de mulheres para Auschwitz I. Ela chega achando que apenas terão que trabalhar por um período, mas logo descobre que jamais sairá de lá. As coisas ficam mais pesadas quando de repente Rena encontra sua irmã mais nova Danka também naquele inferno e faz de tudo que for possível para ficar perto da irmã. Ela conta o momento que tiraram a roupa, a humilhação de serem depiladas, sendo que ainda eram virgens, o andar nu na frente de todos, o seu cabelo lindo que foi raspado, todas as humilhações que pode existir nessa vida.


Ela conta em detalhes a precariedade que viviam e relaciona com seu passado. Eles se alimentavam com pão, sopa quase de água, e chá, isso quando eram alimentadas. Trabalhavam o dia todos e eram massacradas por vontade própria dos alemães, mesmo que elas não fizessem nada de errado, bastava eles terem prazer de machucar alguém. Fala sobre todo sacrifício que fez pela irmã, para que ficassem perto uma da outra e sobrevivessem, sobre as roupas, e a câmera de gás.

" O sol é dourado e brilhante, queimando através das camadas de obscuridade em minha mente. Meu nevoeiro começa a levantar."

Elas resistiram por três anos nessa vida, em momentos que elas acharam que morreriam ou quiseram fazer isso. Viviam juntos a pulgas, doenças em meio aos mortos. São relatos detalhados de tudo que aconteceu, das seleções, fome, terrorismo. Mais detalhes são apresentados no rodapé com fatos históricos.

"Pode ser apenas sorte, ou um erro. O acaso é a única ordem em nosso universo."

Depois de anos naquele inferno, Rena e Danka sobrevive, uma inacreditável história de força e coragem. Antes da guerra acabar, Rena descobre que seus pais morerram, por uma das suas amigas,  a sua promessa de levar sua irmã sã e salva pra casa continuava em pé, mas seus pais não estariam lá para sua chegada.


Quando comecei a ler os livros sobre o Nazismo, fiquei horrorizada, mas é tão envolvente que sai a procura de livros, filmes, series, qualquer coisa que me fizessem saber mais um pouco sobre essa guerra. Milhares de pessoas morreram por um preconceito sem noção de um homem louco. Por isso o respeito é tão salientado na nossa atualidade. Ninguém quer que isso se repita. Um livro mega super indicado para todas as pessoas.

Quem ai já leu o livro o que achou?