Livro 77°: O beijo traiçoeiro - O mundo da Tutty

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Livro 77°: O beijo traiçoeiro


Titulo: O beijo traiçoeiro
Autora: Erin Beaty
Ano: 2017
Páginas: 440
Classificação: Ficção/ Romance/ Literatura Estrangeira


Sinopse: Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas. Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações. Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.

" Confiança é uma via de mão dupla "


"Nem sempre gostamos do que é bom para nós."

Minha opinião: Mais um livro incrível desse 2017. Pronto falei! hahaha.
Então agora vamos por partes. Logo quando esse livro foi lançado eu tive apaixonites pela capa, e só! Li a sinopse quando o livro chegou aqui em casa e eu iria ler (todo mundo já sabe), e tive a impressão que não gostaria do livro. Comecei a ler e tive certeza disso, até a história virar de cabeça pra baixo, dai eu me apaixonei!
Em pratos limpos, o livro conta a história de Sage, uma menina que vive nos tempos de casamentos arranjados e decide que ela não vai casar, mas de jeito nenhum. E por isso acaba virando uma casamenteira, alguém que ela não suportava. Mal previa que isso iria dar destino a sua história. Junto a isso começa uma nova história falando sobre soldados. (Aqui eu tive certeza que o livro não poderia piorar! )



Sage então recebe uma missão: acompanhar as damas a caminho de Concordium,  onde aconteceria o evento que firmaria os futuros casamentos. No caminho Sage adianta sua tarefa e anota no seu caderninho tudo que descobre sobre as damas, os parceiros e até dos soldados. Desde o caminho até Corcodium, Sage percebe uma coisa diferente no ar, os soldados estão sempre tensos, preocupados e ela começa a prestar atenção em todos os detalhes, isso já deixa ela bem esperta para os próximos capítulos. Sage acaba participando em vários momentos na espionagem a favor dos soldados, em toda essa história acaba que Sage  cria laços de amizade com algum soldados e acaba também se apaixona ndo(quem diria!), e então eu comi o livro, como se come pizza. kkkkk
Sage começa a ajudar os soldados por várias razões e principalmente porque está apaixonada. Sem spoiler sobre esse romance, mas quem quiser pula direto para o capitulo 51 do livro. (Melhor capitulo do livro).


Porém quanto mais ela se envolve, Sage descobre mentiras, informações importantes, começa a chamar atenção de todos (já que ela era invisível) e por fim identidade secreta de pessoas que ela nem imaginaria. Sage aceita então, depois de estar completamente envolvida na teia da espionagem, o último desafio para salvar todos (esse é o segundo melhor capitulo - vão ler o livro todo).  E por alguns deslizes cometidos, ou não, todos pensam que Sage está morta, com isso leva o capitão a cometer vários erros e mudar todos os planos. Sage está viva, vive os melhores momentos de ação que jamais imaginaria na vida (e isso me tirou o fôlego), e ainda vive um romance de arrepiar os cabelos (aqui eu já estava sem fôlego). Acaba entendendo que uma casamenteira vai muito além de juntar duas pessoas, envolve politica, dinheiro e muita inteligência.
Por fim, tudo que nos resta agora é saber se existe um segundo volume depois dos novecentos e vinte dias. Ou se tudo vai da nossa imaginação.


O livro me surpreendeu muito, foi difícil ler as cem primeiras páginas, porque as trezentas depois foram estupidamente rápidas. Misturou tudo que eu não achei que fosse ter, com uma personagem extremamente forte e cheia de ideais.
Quem já leu o que achou?

2 comentários:

  1. Oi Tutty, edição muito bonita a desse livro. Uma pena que as cem primeiras páginas foram difíceis, mas que bom que o restante fluiu.
    Abraço!

    http://cotidiano-alternativo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ainda bem mesmo porque o restante é perfeito!
      bjos

      Excluir