Livro 85: Não me abandone Jamais - O mundo da Tutty

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Livro 85: Não me abandone Jamais


Titulo: Não me abandone jamais
Autora: Kazuo Ishiguro
Ano: 2016
Páginas: 344
Classificação: Ficção Cientifica.

Sinopse: Kathy H. tem 31 anos e está prestes a encerrar sua carreira de "cuidadora". Enquanto isso, ela relembra o tempo que passou em Hailsham, um internato inglês que dá grande ênfase às atividades artísticas e conta, entre várias outras amenidades, com bosques, um lago povoado de marrecos, uma horta e gramados impecavelmente aparados. No entanto esse internato idílico esconde uma terrível verdade: todos os "alunos" de Hailsham são clones, produzidos com a única finalidade de servir de peças de reposição. Assim que atingirem a idade adulta, e depois de cumprido um período como cuidadores, todos terão o mesmo destino - doar seus órgãos até "concluir". Embora à primeira vista pareça pertencer ao terreno da ficção científica, o livro de Ishiguro lança mão desses "doadores", em tudo e por tudo idênticos a nós, para falar da existência. Pela voz ingênua e contida de Kathy, somos conduzidos até o terreno pantanoso da solidão e da desilusão onde, vez por outra, nos sentimos prestes a atolar.


" Cresci um pouco, imagino. E talvez todo mundo também tenha crescido um pouco. Não dá para ficar batendo na mesma tecla o tempo todo. Fica chato "

"  É como passar diante de um espelho pelo qual passamos todos os dias de nossas vidas e de repente perceber que ele reflete outra coisa, uma coisa estranha e perturbadora."

" Quando é com a pessoa certa, faz você se sentir muito bem."


Opinião: Esse é o tipo de livro que eu desisto bem no inicio porque a história é bem maçante, mas que eu já aprendi a insisti nesse tipo de livro, sei que do meio para o fim ele acaba me conquistando, e foi assim que aconteceu com esse livro. Desisti por duas vezes antes do livro chegar na página 100. Achei bem cansativo e sem graça, acredito que se devia ao inicio não entender logo do que se tratava bem a história.
Um daqueles livros fortes que te fazem perguntar se um dia aquilo realmente pode acontecer, no mundo em amplo desenvolvimento, não acho difícil isso virar realidade. Em um mundo onde cada um só olha pro próprio umbigo, é até estranho isso já não ter acontecido. Ele conta a história de crianças que viviam em uma instituição que de inicio parece uma escola, mas que logo depois você entende ser um pouco mais que isso. As crianças eram "clones doadores" por isso cresceram ali, esperando apenas seu momento de ser chamada, algumas resistiam mais tempos outras não. Dentre essas crianças, algumas também viravam cuidadores desses doadores. A história se passa exatamente pela voz de uma cuidadora que viveu no Hailsham. Ela conta nas coisas que eles acreditavam em quanto estavam lá dentro, como eram tratados e os segredos que rolavam. E só no final do livro que tudo fica claro, mostrando o final de cada personagem, quem cuidava da instituição, porque ela foi criada e porque tudo aconteceu. Envolvente, pesado, com uma carga emocional forte, escrita ás vezes cansativa, mas para quem estava entendendo a história, fluía facilmente.
Acho que o livro mereceu o prêmio nobel de literatura de 2017. Difícil encontrar algo assim, diferente, em leitura, nos dias de hoje.
Existe disponível o filme no Netflix, que eu vou correr agora para assistir e já conto a vocês em um outro post.

Quem já leu o que achou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário