O que mudou aos 29?

By 16:01


Toda vez que eu escrever um texto sobre como eu mudei, sempre vou começar por: Depois que perdi meu pai tudo mudou. Essa é a mais pura verdade e que assola a minha vida.
Nos eramos uma família, até ele ir embora, de repente somos apenas eu e minha mãe tentando reconstruir o que diariamente desmorona.

Já faz alguns meses que venho percebendo que tenho chorado pelas coisas mais bobas e simples, que antes nunca tinha me atentado. Isso tem me incomodado muito, choro até se começar a pensar. Por isso mantenho minha mente ocupada sempre, ate hoje.
Ontem me vi chorando por precisar matar uma formiga, semana passada me peguei chorando por ter " literalmente esquecido" a dor que alguém me fez passar, mês passado chorei pensando na minha mãe.

Fim de semana passado ela me lembrou que esse fim de semana seria meu aniversário. Já não comemoro datas festivas desde que meu pai se foi, porém tento agir naturalmente para que minha mãe jamais note isso (Ela é a única pessoa que me sobrou), e só eu sei o quão difícil isso é. Obviamente lembro que junho é meu aniversário, mas essa semana havia me esquecido de quão próximo ele estava.

Ela me perguntou o que eu queria fazer, sumi não era bem a resposta que ela estava esperando, então ela mesmo respondeu dizendo que sairíamos para comer alguma coisa com minhas sobrinhas. Aceitei, dos males o menor. Comer sozinha com ela, era melhor que um bolo entre a família destruída fingindo amores.

Meu pai nunca me deu presentes materiais, mas era o melhor pai do mundo, ele me dava lições de vida. E no dia do meu aniversário ele caprichava no cafe da manhã que ele sempre nos dava na cama. Caprichava no sorriso, no abraço, nos parabéns, esse era o presente que eu mais gostava. Sabe o que é acordar com um presente desse bem cedinho? É indescritível! Mas nem todo mundo vai saber porque só damos valor quando perdemos algo. Então acordar todos os dias tem sido meio que meu pesadelo, ainda mais se esse dia for meu aniversário.

Depois que perdi meu pai não tenho com quem almoçar, não tenho com quem conversar, e eu aprendi a lidar muito bem com o silêncio. Não tenho mais com quem andar nas ruas de mãos dadas. Quantas vezes já falei isso nos outros textos? É uma saudade sem tamanho..

Esse ano também perdi mas duas pessoas (meu irmão e minha tia), apesar de estarem vivos, pra mim morreram definitivamente. Não me levem a mal, mas se teve algo que eu aprendi com meu pai , e ele não era assim, e que as pessoas que tem dinheiro, querem sempre mais dinheiro, e por isso passam pro cima de quem quer que seja, seja ele sua irmã, sua mãe, sua sobrinha, não notam quanto sofrimento eles criam ao seu redor,  não notam quanto isso os transformam. E isso é tudo que posso  e quero falar sobre eles.

Porém nessa vastidão de perdas que tive, entendi que mais que nunca esse ano não queria festas, comemorações, nem tinha com quem comemorar. Minha família sempre teve uma grande importância em minha vida, principalmente as listadas acima. Não ter elas nesse dia, seria um dia cinzo que eu viverei colorindo. Entendi também que quantidade não é importante, importante mesmo é a qualidade das pessoas que estão com você. Não vale a pena você querer deixar pessoas na sua vida se elas não quiserem estar. 

Aprendi nesses três anos a dar valor a minha mãe, a sua luta e a sua forma de me amar. Aprendi a deixar o tempo correr, e não correr atrás do tempo. Aquilo que nasceu pra ser, vai ser, e nada do que você fizer vai mudar isso.
Talvez eu saia com minha mãe e minha sobrinhas pra comer, talvez chame uma ou duas amigas para irem juntas, mesmo querendo estar só. Talvez ocorra tudo fora o planejado ou não ocorra nada, mas eu não tenho expectativas para esses dias, e só um dia como qualquer outro, onde eu vou acordar, esperar meu pai na cama e ele não vai chegar.

Eu aprendi das piores formas o que é perder alguém, esteja ele no céu ou na terra. Você aprende que você poderia ter feito mais por mais que você tenha feito, você aprende que você vai sentir falta pro resto da vida, que as pequenas coisas são de grande importância na vida de outrem. Que se você não puder falar ou não souber falar nada de bom, que a melhor coisa é se manter em silêncio. Que não existe nada melhor que mãe e pai, tratem-os bem, porque um dia você vai querer fazer isso e não vai poder.

Nesse meu aniversário, onde nem meu namorado poderá estar presente comigo, eu só queria poder ficar na cama, debaixo do lençol bem escondidinha, esperando esse dia acabar, nesse meu aniversário, eu só queria a chance de poder acordar de novo com meu pai, de poder passar que fosse mais um dia com ele.

" Porque amar é isso Amar é cumprir a promessa mesmo assim "

Assuntos relacionados:

0 comentários