sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Fotografia de Setembro

Mês de Setembro chegou! E com ele as melhores fotos que tirei e fez muito sucesso lá no meu albúm do 500px.












As fotos foram tiradas no Parque da Lagoa e no Parque de exposição de Feira De Santana.
quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Psicoterapia Reencarnacionista por Mauro Kwitko


Essa nova Psicologia, que estamos desenvolvendo, e que lida com a Reencarnação, está alinhada às concepções reencarnatórias e chama-se Psicoterapia Reencarnacionista. Ela não vem para combater a Psicologia tradicional ou para destruí-la e, sim, para abrir suas fronteiras, do nascimento para trás, rumo ao nosso passado transpessoal, e do desencarne para a frente, rumo às nossas encarnações futuras. É a expansão da Psicologia tradicional, dessa vida apenas, herdeira do Consciente Coletivo não reencarnacionista, originado nas concepções religiosas dominantes no Ocidente.
 E é aí que estamos indo, seguindo a orientação do Dr. Freud. Entrando no Inconsciente das pessoas encontra-se a Reencarnação. Isso é religião? Não, isso é pesquisa científica, isso é a emergência de uma nova Psicologia e uma nova Psiquiatria.

A Psicoterapia Reencarnacionista não deve ser confundida com a Regressão Terapêutica, que é uma técnica utilizada para desconectar as pessoas de situações traumáticas do seu passado que ainda estão acontecendo em seu Inconsciente, originando sintomas, principalmente os casos de fobias, transtorno do pânico e as depressões severas, que podem ser, desse modo, melhorados muito ou até curadas rapidamente. Não devemos confundir a Psicoterapia Reencarnacionista com a Regressão Terapêutica: aquela é uma Escola de Psicologia, essa é uma técnica. A Regressão para a Psicoterapia Reencarnacionista visa, além disso, ajudar as pessoas a perceberem se vêm aproveitando ou não as suas encarnações nos últimos séculos e saber para o que vêm reencarnando e para o que reencarnaram dessa vez.

Pouquíssimas pessoas têm uma ideia clara, ou mais ou menos clara, sobre o objetivo da vida e rarís­simas têm a noção do que estão fazendo aqui. A maioria vive como se vivesse em um labirinto, perdida numa névoa escura, rodeando o tempo todo, sem saber se vai por esse ou aquele lado, simplesmente porque não sabe quem realmente é, o que está fazendo aqui e para onde deve ir. Viver desse modo é como se você fosse a um supermercado sem saber o que quer com­prar e, então, após algum tempo de perambulação pelos corredores, compra­ria qualquer coisa e ir-se-ia. Viver sem saber quem é e o que é isso que se chama “vida” é a mesma coisa: você perambula pelos corredores, sem com­prar nada de que realmente precise e, no final, vai-se. Ou compra coisas que não precisa.

Temos hoje em dia uma Medicina que não consegue realmente curar, apenas paliar, pois acredita que as doenças iniciam no nosso corpo físico e devem ser curadas nele, quando na verdade elas iniciam em nossos pensamentos e sentimentos, e esses é que devem ser tratados e curados. Temos uma Psicologia que lida com um “início” na infância e um equívoco que é a formação da personalidade, quando na verdade nós somos um Ser (Espírito) retornando para a Terra, trazendo a nossa personalidade das encarnações passadas (Personalidade Congênita). Temos uma Psiquiatria que acredita que a doença está no cérebro e deve ser tratada com medicamentos químicos, quando a doença mental é imaterial e causada ou fortemente influenciada por ressonâncias de nossas encarnações passadas e em influenciações negativas de seres desencarnados (obsessores).

Uma das constatações nas sessões de regressão é que, independentemente desses fatores relativos à sua “casca”, as pessoas regredidas referiam uma maneira de ser, de pensar, de sentir, muitíssimo parecida encarnação após encarnação, e como ainda hoje! Ou seja, uma pessoa autoritária, agressiva, era assim nas suas encarnações passadas, alguém tímido, medroso, se vê assim lá atrás, uma pessoa magoada, com sentimentos de rejeição e abandono enxerga-se dessa maneira em suas encarnações passadas, alguém deprimido já era deprimido há séculos, e isso não aparece em uma ou outra pessoa, isso demonstra-se sempre, em todas as sessões de regressão. Nós, psicoterapeutas reencarnacionistas, escutamos, durante as regressões, histórias de pessoas que estão há centenas de anos reencarnando para melhorar essas características negativas, com um resultado muito pequeno, repetindo sempre o mesmo padrão, e que, hoje em dia, são ainda extremamente parecidos como eram! Nós reencarnamos para melhorar as nossas tendências inferiores mas se avaliarmos o quanto temos conseguido melhorar isso em nós nessa atual encarnação, podemos fazer uma projeção semelhante para nossas últimas encarnações.

Mas isso não é de ficar-se admirado, pois se somos um Ser imortal que muda apenas de “casca” de uma encarnação para outra, o óbvio não é, então, que mantenham-se as nossas características de personalidade de uma vida terrena para outra? A essa personalidade que é nossa, que vem nos acompanhando encarnação após encarnação, chamamos de Personalidade Congênita, e aí começa a estruturar-se a Escola de Psicoterapia Reencarnacionista. Esse termo encontra-se em “Obreiros da Vida Eterna”, de André Luiz, psicografado por Chico Xavier, em uma palestra do Dr. Barcelos, psiquiatra desencarnado, no Nosso Lar, páginas 32-34, quando ele diz:

”Precisamos divulgar no mundo o conceito moralizador da Personalidade Congênita, em processo de melhoria gradativa, espalhando enunciados novos que atravessem a zona de raciocínios falíveis do homem e lhe penetrem o coração, restaurando-lhe a esperança no eterno futuro e revigorando-lhe o ser em suas bases essenciais. As noções reencarnacionistas renovarão a paisagem da vida na crosta da Terra, conferindo à criatura não somente as armas com que deve guerrear os estados inferiores de si própria mas também lhe fornecendo o remédio eficiente e salutar… Falta aos nossos companheiros de Humanidade o conhecimento da transitoriedade do corpo físico e o da eternidade da vida, do débito contraído e do resgate necessário, em experiências e recapitulações diversas… Faltam às teorias de Sigmund Freud e seus continuadores a noção dos princípios reencarnacionistas e o conhecimento da verdadeira localização dos distúrbios nervosos, cujo início muito raramente se verifica no campo biológico vulgar, mas quase que invariavelmente no corpo perispiritual preexistente, portador de sérias perturbações congênitas, em virtudes das deficiências de natureza moral, cultivadas com desvairado apego, pelo reencarnante, nas existências transcorridas”.

Essa frase inicial – “Precisamos divulgar no mundo o conceito moralizador da Personalidade Congênita.” – é a finalidade da existência da Psicoterapia Reencarnacionista, a sua meta e objetivo.

A evolução espiritual do ser humano é lenta porque, a cada encarnação, temos a sensação ilusória de que estamos vivendo uma “vida” e que tudo que temos de inferior em nossa personalidade e sentimentos foi criado na infância pelos “vilões”. Aliás, devíamos mudar o termo vida para passagem, nascimento para chegada e morte para subida, que são mais reais. E, então, uma das finalidades da Escola de Psicoterapia Reencarnacionista é auxiliar as pessoas a recordarem-se de que somos Espíritos eternos, passando mais uma vez por aqui, que essa vida é apenas mais uma passagem, que descemos do Plano Astral e, um dia, vamos subir para lá de novo. E depois continuaremos a descer e a subir, descer e subir, descer e subir, até ficarmos puros, para o padrão terreno. E então continuaremos nossa trajetória no Plano Astral, depois no Plano Mental, e assim gradativamente, até, um dia, voltarmos para o Todo.

O trabalho principal do psicoterapeuta reencarnacionista é auxiliar a pessoa em tratamento a recordar-se da busca da evolução espiritual, da purificação. Deve ajudá-la a aproveitar essa atual passagem, a fazer uma releitura de sua infância a partir dos princípios reencarnacionistas, a entender porque nos reencontramos com seres com os quais trazemos conflitos de encarnações passadas, por que necessitamos passar por situações aparentemente negativas, desagradáveis, a Lei do Retorno, etc. Essas descobertas e constatações é o que pretendemos transmitir, e esperamos que nossas reflexões sobre o conflito entre o nosso Eu Real (a Essência) e as ilusões do nosso eu temporário (a persona atual), ajudem as pessoas a encontrarem-se consigo mesmas e assumirem com mais confiança e determinação o objetivo final de todos nós: a evolução espiritual. Nada disso é novidade para os espíritas e para todos que acreditam na Reencarnação, mas agora essas questões estão sendo colocadas como uma psicoterapia.

A Psi­coterapia Reencarnacionista, uma psicologia baseada na Reencarnação, veio para ajudar a nos libertarmos das ilusões e das fantasias terrenas e a nos apegarmos firmemente aos aspectos realmen­te absolutos e eternos do nosso Caminho. Ao seu tempo, essa visão reencarnacionista ajudará a Psicologia oficial a libertar-se das suas amarras e os psicólogos e os psiquiatras que acreditam na Reencarnação não precisam mais ater-se a uma visão que analisa a vida de seus pacientes apenas a partir da infância, pois essa nova Escola aí está, ao acesso de quem se interessar, os Cursos estão abertos, já existem livros, agora é uma questão de tempo. Em breve haverá duas Psicologias: uma que lida com essa vida apenas, para os profissionais que não acreditam na Reencarnação, a ser utilizada nas pessoas que também não lidam com isso, e uma que lida com a vida eterna, que é a Psicoterapia Reencarnacionista, baseada na Reencarnação, para quem acredita nela. É uma questão de coerência.
quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Sobre o autor: Mauro Kwitko


Mauro nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, no dia 17 de novembro de 1947, às 8:20h.
Em 1996, lancou uma fita k7 intitulada Canto para a Nova Era e em 1998, o CD Invisible Friends, com apoio do Fumproarte.
Estudou várias Medicinas além da Medicina alopática, a Medicina homeopática, a Medicina floral, trabalhou como médium em centros espíritas e espiritualistas, conheceu o trabalho de Terapia de Regressão da Dra. Maria Júlia Prietto Peres e, desde 1996, trilha esse caminho, investigando o inconsciente das pessoas que sofrem de fobias, de pânico, de depressão, dores físicas crônicas (Regressão Terapêutica).
Mauro Kwitko formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 1971.
Em 1996, começou a elaborar e divulgar a Psicoterapia Reencarnacionista, a Terapia da Reforma Íntima, uma criação de um Grupo de Seres do Mundo Espiritual.
Desde 2009, é médico auto-licenciado do CREMERS e se dedica ao exercício da Psicoterapia Reencarnacionista, da qual foi o pioneiro na organização e divulgação. Trabalha com a Regressão Terapêutica, tendo feito até o momento regressão em cerca de 10 mil pessoas.
Ministra Cursos de Formação em Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica há muitos anos, tendo formado centenas de psicoterapeutas reencarnacionistas. Ministra o Curso em Porto Alegre (2 turmas), Rio de Janeiro, São Paulo (2 turmas), Curitiba e Brasília.
Presidente da Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista – ABPR – (www.portalabpr.org) e da Casa Beneficente de Terapia e Caridade – CBTC.
Tem artigos publicados em muitos jornais e revistas.
É músico e compositor, atualmente recebendo Hinos Espirituais, com os Cds Hinos de Amor e Hinos de Paz à venda no Portal da ABPR, cuja renda é revertida para a Casa Beneficente de Terapia e Caridade. 

É autor dos livros:
Você encontra todos esses livros lá no Skoob ! O livro que eu resenhei aqui no blog, do autor, você encontra (nesse link). Como eu não conhecia o autor nem seus livros, esse é o primeiro que li dele, pude entender que nos outros livros que ele publicou acho que ele fala realmente do que senti falta nesse primeiro, então me ariscarei a comprar os outros dele!
Alguém já conhecia o trabalho de Mauro Kwitko?
terça-feira, 27 de setembro de 2016

Frases do livro: Como aproveitar a sua encarnação


" O mundo é igual para todos, cada um faz da sua vida de acordo com seus pensamentos, seus sentimentos, sua índole, seu caráter, suas atitudes. O que vai acontecendo conosco durante uma encarnação, desde a constituição da nossa infância, é decorrente de nossas encarnações passadas, de acordo com o nosso merecimento. O que se apresenta para nós a todo instante é fruto do que plantamos. Quem planta espinhos, colhe espinhos; quem planta flores, colhe flores."

" A pessoa que parece humilde, mas que na verdade cultua a crença da inferioridade, afeta aos outros com seu ar sofredor, com sua postura de vítima, de coitadinho, entristece seus familiares com sua dor, com suas doenças, sobrecarrega seus próximos com suas lamentações e suspiros."

" A pessoa verdadeiramente humilde é forte, mas não agride seu próximo, é confiante, mas não quer sobrepujar ninguém, é vencedora, mas não anseia pelos bens materiais passageiros, é uma guerreira, mas não luta por vitórias fúteis e ilusórias." 

" Perdoar para nós é uma atitude de aceitar, quando nós acreditamos estar perdoando, estamos é tomando a decisão de afastarmos, para o mais longe possível, o objeto de nossa raiva ou nossa mágoa."  
segunda-feira, 26 de setembro de 2016

36° Livro: Como aproveitar a sua encarnação


Titulo: Como aproveitar a sua encarnação
Autora: Mauro Kwitko
Ano: 2012
Editora: Besouro Box
Páginas: 168
Classificação: Espiritismo/ Religião
Frases do livro

Sinopse do fundo do livro : Como evoluir, transformar e desfrutar de forma verdadeira nossa passagem pela vida terrena. Essa é a proposta desta já consagrada obra de Mauro Kwitko, uma ferramenta de efetivo auxílio àqueles que buscam um real aproveitamento da sua encarnação. O autor aborda como enxergamos a nossa infância e a nossa vida, mudando o enfoque a esse respeito, da visão limitada da nossa persona para a visão ilimitada do nosso Espírito, entendo porque escolhemos (necessitamos) as pessoas e as situações que farão parte da nossa existência, tendo como diretriz a Psicoterapia Reencarnacionista, em que a Personalidade Congênita ("Nós somos como somos porque nascemos assim") é o seu pilar básico. 

Minha opinião: Já tenho esse livro a algum tempo, sempre quis ler, mais sempre deixei para um depois, que chegou agora. O livro como aproveitar sua encarnação, fala de forma breve e sucinta de temas e perguntas básicas da vida, vista pela forma da psicoterapia reencarnacionista, logo ele fala muito também da religião espirita, que por várias vezes ele deixa claro não ser o foco do livro, mas não tem como os dois assuntos não se cruzarem. Ele cita as dúvidas que normalmente temos em certa idade, do tipo: "quem somos, para que viemos, para onde vamos..." explica os pensamentos e atitudes que acontecem na vida de uma criança, adolescente e adulto, tudo pela vista da psicoterapia.
O livro apesar de ser bem resumido, fala do básico superficialmente, é um bom livro para quem não conhece nada sobre o assunto ou a religião. Explicando casos que aconteceram em sessões que ele participou, ele tenta orientar as pessoas quais os melhores caminhos a seguir em determinados momentos. Porém eu que desde os quinze anos me interesso muito pela psicoterapia reencarnacionista e sou espirita, o livro não me acrescentou muita coisa, como já estudei muito o assunto, já tinha uma percepção maior sobre o que o autor falava. É um livro muito bom, mais para quem quer entrar no assunto, não para quem já o conhece. A parte mais interessante que achei do livro e que realmente me mostrou algo que eu não sabia foi o capitulo foi sobre os riscos da terapia de regressão, que sempre foi um assunto que muito me chamou atenção. Eu esperava que o autor entrasse mais a fundo nos temas, que são muito bons particularmente falando, que ele fosse mais a fundo no que ele escreveu. Seria um livro excepcional.

sábado, 24 de setembro de 2016

Um dia no parque de exposição da minha cidade

Gente semana passada teve aqui na cidade o Expofeira 2016!
É um evento bem divertido, onde tem exposição de alguns animais, da para andar de cavalo, pônei, boi, tem alguns lugares para se comer, para quem tem interesse tem leilão de bichos, lojinhas de compras, bandas que tocam a noite e um parque de diversão!
Dá uma movimentada legal na cidade, tanto para quem quer passear e ter algo diferente para se fazer, quanto para quem tem lojas e precisa movimentar o serviço! 
Levei minhas gurias para mais um ano no parque de exposições, e elas amam! Tirei algumas fotos para mostrar a vocês!

















Quem mais foi a exposição?
sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Doce Brigadeirinha, nossa nova parceira!



Nem só de livros e fotos vive a minha barriga!
Por isso agora temos uma nova parceria aqui no blog! A Doce Brigadeirinha chegou, chegando!
A Doce Brigadeirinha, conhecida a anos por fazer os doces mais gostosos (sou prova viva e gorda disso!), agora colocou suas delicinhas á venda!
Podia ficar melhor? P-O-D-I-A  S-I-M!
A Doce Brigadeirinha agora virou parceira do blog! ou seja!? Vou ganhar uns kilinhos bem gostosos!
E para comemorar essa parceria, essa semana ganhei da DB, uma caixinha com seis tipos de brigadeiro (Brigadeiro de Kit Kat, de morango, ninho com nutella, Ovomaltine e Nutella com Nutella). 
O meu preferido que me deixou com muita água na boca foi o de morango, o Ninho com Nutella e o Nutella com Nutella. 
Quem me segue lá no instagram, viu meus instasnap cheio de gostosura toda a tarde! Mas não podia deixar de mostrar algumas fotos aqui para vocês também.





O sabor é muito bom! Mega recomendo! Quem tiver interesse pode entrar no insta dela que eu deixei marcado ai em cima e conferir tudinho!





quarta-feira, 21 de setembro de 2016

35° Livro: Uma noite com Marilyn Monroe


Titulo: Uma noite com Marilyn Monroe
Autora: Lucy Holliday
Ano: 2016
Editora: Harper Collins
Páginas: 272
Classificação: Ficção Americana/ Chick-lit


Sinopse do livro:  Os últimos meses passaram como um furacão pela vida de Libby Lomax. Depois das confusões em que a atriz não tão bem sucedida se meteu com a ajuda da diva Audrey Hepburn, agora Libby está namorando o cara mais gato do planeta. Mas seu otimismo tem vida curta. Ainda bem que Libby tem outra convidada mais que especial para lhe aconselhar... Agora é torcer para que desta vez Marilyn seja a chave para finalmente colocar a vida nos eixos!




Minha opinião: Só agora pude fazer a resenha desse livro. Foi uma cortesia enviada pelo Skoob juntos a editora. E eu nunca tinha lido livros da editora Harper Collins, e já me consquistou desde então. Assim como a autora!
É uma pena eu não ter lido a primeira serie do livro intitulado de " Uma noite com Audrey Hepburn", mas me diverti lendo esse livro como se ele fosse o primeiro, agora estou muito curiosa para saber como é o primeiro e o terceiro.
Mesmo sem ler o primeiro livro da serie, deu para entender e me deixar bem curiosa. A vida de Libby está meio que de cabeça para baixo, não está indo bem como atriz, descobre que Dillon O' Hara apesar de mega gato e com muitos detalhes que deixa a Libby caidinha, ele não é o melhor namorado do mundo. Tudo isso se junta ela chegar em casa e encontrar em seu sofá a Marilyn Monroe.
A história dela com Marilyn vai dá o que falar. Mas a vida dela desanda muito até os últimos capítulos do livro. A melhor parte acho que do livro inteiro e quando ela acha que namora um cara (que na verdade não namora), e acaba indo para casa dele de lingerie e esperar que ele chegue,  acaba ficando presa na casa do cachorro, ri litroos nesse capitulo.  E chorei esperando que ela e o Olly ficassem juntos! Será que ficam? Ela só o considerava um grande amigo, até saber pelo Dillon que Olly era apaixonada por ela!
Eu ameeeeeeeeeeeeeei o livro e agora quero completar a serie! Tenho a impressão que tenho gostado muito dos livros Chick-lit.  Obrigado Skoob pela oportunidade! Espero que venham mais livros como esse!
 E vocês já leram esse livro? O que acharam?

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Frases: O evangelho segundo o espiritismo


" O verdadeiro sábio, pois, deve, de alguma sorte, isolar a alma do corpo, para ver com os olhos do Espírito. É o que ensina o espiritismo."

" Livres da loucura do corpo, então conversaremos, é de esperar-se, com homens igualmente livres e conheceremos por nós mesmos a essência das coisas."

" A reencarnação num corpo material é uma consequência da impureza da alma, enquanto que as almas purificadas estão livres dela."

" Deus não se comunica com os homens senão por intermédio dos Espíritos puros encarregados de transmitirem suas vontades; que os Espíritos se comunicam com eles durante a vigília e durante o sono."

" De duas coisas uma: ou a morte é uma destruição absoluta, ou ela é a passagem de uma alma para um outro lugar. Se tudo deve se exterminar, a morte será como uma dessas raras noites que passamos sem sonho e sem nenhuma consciência de nós mesmos. Mas se a morte não é se não uma mudança da morada, a passagem para um lugar onde os mortos devem se reunir, que felicidade nele reencontrar aqueles a quem se conheceu."

"Segundo Sócrates, os homens que viveram sobre a terra, se reencontram depois da morte e se reconhecem. O espiritismo no-lo mostra continuando as relações que tiveram, de tal sorte que a morte não é nem uma interrupção,  nem uma cessação da vida, mas uma transformação, sem solução de continuidade."

" A riqueza é um grande perigo. Todo homem que ama riqueza não ama nem a si, nem o que está em si, mas a uma coisa que lhe é ainda mais estranha que aquela que está em si."

" O Espiritismo é mais explicito; ele diz que aquele que possui a virtude a adquire por seus esforços em existências sucessivas, em se despojando, pouco a pouco, das suas imperfeições."

" A morte nada mais tem de apavorante, e não é mais a porta do nada, mas a liberação que abre, ao exilado, a entrada de uma morada de felicidade e paz. Sabendo que está em um lugar temporário, e não definitivo, recebe as inquietações da vida com mais indiferença, e disso resulta, para ele, uma calma de espírito que lhe atenua a amargura."

" Aquele que se identifica com a vida futura é semelhante a um homem rico que perde uma pequena soma sem com isso se perturbar; aquele que concentra seus pensamentos sobre a vida terrestre é como um homem pobre que perde tudo o que possui e se desespera."


" O homem deixa a terra por mundos mais felizes, quando está curado das suas enfermidades morais."

" O corpo nada tem da materialidade terrestre, e não está, por conseguinte, sujeito nem às necessidades, nem às doenças, nem às deteriorações que engendram a predominância da matéria; os sentidos, mais delicados, têm percepções que a grosseria dos órgãos sufoca neste mundo; a leveza específica dos corpos torna a locomoção rápida e fácil; em lugar de se arrastar penosamente sobre o solo, ele desliza, por assim dizer, na superfície, ou plana na atmosfera sem outro esforço senão o da vontade, à maneira pela qual se representam os anjos, ou pela qual os Antigos imaginavam os manes nos Campos Elíseos. Os homens conservam, à vontade, os traços de suas migrações passadas e aparecem aos seus amigos tal como os conheceram, mas iluminados por uma luz divina, transfigurados pelas impressões interiores, que são sempre elevadas. Em lugar de rostos pálidos, devastados pelos sofrimentos e pelas paixões, a inteligência e a vida irradiam esse clarão que os pintores traduziram pelo nimbo ou auréola dos santos."

" porque o espírita, melhor que qualquer outro, deve compreender a extensão infinita da bondade de Deus. O espírita deve pensar que sua vida inteira deve ser um ato de amor e de devotamento; que o quer que se possa fazer para contrariar as decisões do Senhor, sua justiça seguirá seu curso. Ele pode então, sem medo, fazer todos seus esforços para adoçar a amargura da expiação, mas é só Deus que pode detê-la ou prolongá-la segundo julgue necessário."



segunda-feira, 19 de setembro de 2016

34° Livro: O evangelho segundo o espiritismo


Titulo: O Evangelho segundo o espiritismo
Autora: Allan Kardec
Ano: 2001
Editora: Instituto de Difusão Espírita
Páginas: 365
Classificação: Espirita

Sinopse do livro: Esta obra define a essência religiosa da Doutrina Espírita, como sendo a do Cristianismo Redivivo, restaurado pela interpretação que os Espíritos deram aos textos evangélicos. 
Ela mostra o poder do amai-vos uns aos outros nas mais diversas situações da vida, quando deixamos o nosso amor fraterno guiar a nossa mente e o nosso coração, as nossas mãos e os nossos passos, para que tudo se equilibre ao nosso redor. 
É um livro de consolações e de orientações seguras que os Espíritos nos legaram como apoio e roteiro de nossa vida. Contém a explicação das máximas morais do Cristo, sua concordância com o Espiritismo e sua aplicação às diversas posições da vida.
Allan Kardec, quando redigiu seus livros, escreveu para o povo, em linguagem simples, e, sendo esta uma tradução literal, a linguagem simples original ficou preservada.

Minha opinião: Na introdução deste livro, o leitor encontrará as explicações de Kardec sobre o objetivo da obra, esclarecimentos sobre a autoridade da Doutrina espírita, a significação de muitas palavras freqüentemente empregadas nos textos evangélicos, a fim de facilitar a compreensão do leitor. Ainda na introdução, refere-se a Sócrates e a Platão como precursores da Doutrina Cristã e do Espiritismo.O último capítulo apresenta uma coletânea de preces espíritas sem entretanto constituir um formulário absoluto, mas uma variante dos ensinamentos dos Espíritos e Verdade.
Estou na releitura do livro, porque na verdade esse evangelho é sem fim, terminado a leitura, podemos recomeçar e recomeçar infinitas vezes, quantos mais se lê, mais se entende. E eu tenho entendido cada vez mais a religião e me sentido mais acolhida, coisa que não sentia antes.
Cheguei a fazer um post uma vez logo quando entrei na religião e comecei a ler o evangelhos e livros semelhantes (clique aqui). Meu livro de cabeceira.

Quem mais já leu esse livro?
sábado, 17 de setembro de 2016

Quando você não sabe mais o que sente


Nosso castelo que mal foi construído com as melhores pedras, foi bombardeada de tal jeito, que mal fomos capazes de nos defender igualmente, perdemos a guerra.
Mas o fato de perdemos a guerra não fez com que estendêssemos a bandeira branca, apesar dos show de horrores, da quantidade de mortos e feridos, ainda assim tínhamos a certeza que poderíamos nos reerguer, continuar lutando mesmo com as poucas peças que nos sobraram.
A gente nunca sabe se vai valer a pena entregar o que restou para lutar em guerras que sabemos estarem perdidas. Se você não constrói um terreno firme e um castelo alto o suficiente, quando as guerras começam não dá mais tempo de parar e reconstruir tudo de novo, podemos ate tentar reformar algumas paredes, mas o castelo todo não dá.
Esse foi talvez o nosso erro mais grave, ou talvez o erro tenha sido só seu. Desde a construção do nosso castelo, sempre que conseguíamos suspender uma parede, ela era destruída, então construímos um castelo sem fortalezas, o que se tornava mais fácil sua destruição.
Eu não sei o que aconteceu agora com nosso castelo, mas talvez todas essas guerras tenha nos destruído, talvez só você não queira assumir, mais eu cansei de reconstruir esse velho castelo, quando nem você tem mais forças para isso.
Seria tão mais fácil que ajudássemos a desmoroná-lo de vez e simplesmente resolvêssemos cada um encontrar um novo castelo para viver. Do que ficarmos tentando lutar por algo que eu não sei. Era exatamente isso que você quis um dia não foi?
E infinito o número de horas que perco pensando em porque continuar isso tudo, porque você simplesmente não assume que acabou e que mesmo um recomeço, uma amnesia, faria tudo ser diferente, porque já tentamos isso em algumas guerras anteriores.
Vamos ser sinceros? Poderíamos vencer todas as guerras do mundo, mas as nossas guerras foram perdidas porque você quis lutar sozinho, dizer que só poderia construir um castelo só seu, porque você queria qualquer pessoa do seu lado, menos eu. Porque mentira e traição são as únicas guerras que não se ganha, mas se perde mais do que se pode imaginar, e definitivamente acho que você me perdeu nessa última batalha.
Em outras batalhas nessa nossa vida, nesse infinito de tempo que perdi pensando em nos dois, eu sempre achava um caminho de volta, sempre achava o cimento que uniria nossos blocos, sofria por termos perdidos mais uma vez, mais levantava e seguia. Mas nas últimas vezes tinha ficado sem forças para lutar de novo, era visível e você sabia. Foi uma grande guerra, durou semanas, perdemos muito, até nosso castelo, e a partir dai eu já não me importava mais. 
Porém agora, agora eu já não perco tanto tempo pensando na gente e o que me deixa triste nisso tudo e que no tempo que perco já não consigo nos ver juntos, não consigo ver castelos, não consigo ver amor, porque aquilo que um dia eu senti, você fez questão de pisar, olhar nos meus olhos, e não se importar. Então não me sinto culpada pelo nosso fim, porque eu lutei ate o ultimo segundo por nos, um nos que não existe mais, por você.

Atualizações do Instagram

SnapWidget · Free Widget