segunda-feira, 31 de outubro de 2016

40° livro: O menino do pijama listrado


Titulo: O menino do pijama listrado
Autor: John Boyne
Ano: 2013
Páginas: 190
Classificação: Ficção



Sinopse do livro: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.

" Só porque um homem olha para o céu á noite, isso não faz dele um astrônomo, sabia?"

Opinião: A história começa em Berlim, na Alemanha Nazista. Bruno um garoto de nove anos, filho de um militar nazista, inteligente, aventureiro e inocente. Descobre que tem que deixar Berlim e sua casa, para ir a um outro lugar e não entende o motivo. Ao chegar e se instalar na nova casa, Bruno descobre que da janela do seu quarto dá para ver uma cerca com uma placa e que do outro lado tem várias crianças. Bruno não entende porque todos usam as mesmas roupas, pijamas listrados.
Bruno passa muito tempo sem fazer nada e começa a ficar com tédio do lugar e resolve explorá-la. Em um dessas explorações ele encontra a cerca e do outro lado um menino sentado no chão. O menino se chama Schmuel, e eles acabam ficando amigos, mesmo que a cerca delimite os dois.
Mesmo com nazismo, judeus e muita intolerância, os dois conseguem virar amigos, e todos os dias quando não chovia Bruno ia visitar Schmuel e levar comida.
Ele não pode contar a família sobre seu amigo, já que seu pai acha que aquelas pessoas não são gente, mesmo não sabendo o real trabalho do pai e o quanto ele está envolvido nisso.
Bruno tem uma irmã, Gretel, que ele acha que é um caso perdido. Gretel tem doze anos e age como se fosse muito mais velha, por isso a todo momento ela tenta chamar atenção, fazendo seu irmão ficar irritado.
O problema surge quando a mãe acha que devem voltar para Berlim e Bruno resolve se despedir de Schmuel.
O mais interessante do livro foi o fato do autor ter tirado o " foco" do nazismo, e mostrado que com tantas diferenças e guerras naquele momento, pode existir uma amizade tão leal, tanta inocência ainda vinda de Bruno e Schmuel. O autor surpreendeu com sua simplicidade e pureza em um tema tão pesado como o holocausto. Achei o final triste, porém devido a história fiquei pensativa sobre quanto nossas escolhas podem levar a terríveis consequências.


E vocês o que acharam do livro?
sexta-feira, 28 de outubro de 2016

38° semana espírita de Feira de Santana - Família encontro de Almas.

Semana passada tivemos aqui na cidade de Feira de Santana a 38° semana espirita! Desde o ano passado quando conheci a semana espirita não deixei de ir um só dia!
Quem ai viu a programação?



Na noite de sábado, dia 15, no Ginásio de Esportes do Colégio Castro Alves. Elarrat abordou o tema central do evento este ano, “Família – Encontro de Almas”. O evento segue até o próximo dia 23, com conferências à noite e seminários e colóquios durante os fins de semana.
No domingo, 16, a partir das 20:00, o médico André Luiz Peixinho falou sobre “A família em busca de Deus”. Durante todas as noites, variadas abordagens em torno do tema central vertem sobre aspectos diversos como a presença de Jesus no lar, a perda de entes queridos, o parentesco corporal e espiritual, entre outros.
Elarrat discorreu sobre o processo reencarnatório, explicando que renascemos por três razões importantes: aprender algo novo; desatar nós pendentes do passado e dar exemplo daquilo que já sabemos fazer.
No segundo dia tivemos André Luiz Peixinho fazendo um resumo da cosmologia espirita.


No terceiro dia Divaldo Franco encheu o ginásio fazendo todos refletirem sobre os valores da sociedade atual que fundamentados no consumismo e na superficialidade das relações nos tem levado a busca da felicidade através do culto ao prazer.


No quarto dia tivemos Sandra Borba abordando Jesus no lar.


No quinto dia tivemos Marcel Mariano falando sobre a perda de entes queridos, fazendo metade do público chorar, inclusive eu.


No sexto dia tivemos Lusiane Bahia, explicou que o primeiro esclarecimento sobre a questão da parentela espiritual e a corporal está no evangelho Quando Jesus ensinou que sua família são todos aqueles que fazem a vontade do Pai.



Foi meu último dia! Infelizmente tive que viajar e não pude finalizara semana! 



Deixei um vídeo bem curtinho dos momentos que consegui gravar para vocês:


Espero que tenham gostado! E estou aguardando o ano que vem!
beijos!
quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Frases do livro: Muitas vidas, muitos mestres


" A vida é eterna, por isso não morremos. Na verdade, nunca nascemos. Só passamos por fases diferentes. Não há fim. O ser humano tem várias dimensões. mas o tempo não é como vemos, e sim medido por lições que devemos aprender."

" A felicidade se baseia na simplicidade"

" Falar sem agir não tem valor. É fácil ler ou falar sobre amor, caridade e fé. Mas fazer, sentir quase requer um estado novo de consciência."

" Compreender que ninguém é maior que ninguém. Sentir isso. Praticar o auxílio ao outro. Remamos todos no mesmo barco. Se não nos esforçarmos juntos, ficaremos muito solitários."


terça-feira, 25 de outubro de 2016

Sobre o autor: Brian L. Weiss


Brian L. Weiss nasceu em 6 de novembro de 1944 em Nova York. É um neurologista e renomeado psiquiatra Norte Americano. Dr. Weiss graduou-se na Universidade de Medicina de Yale em 1970, estagiou no campo de medicina interna, na New York University Medical Center, retornando posteriormente à Yale para dois anos de especialização em Psiquiatria. É autor de "Muitas Vidas, Muitos Mestres", obra que narra o seu trabalho com uma paciente através de regressão de memória e hipnose, o que despertou o seu interesse pelo conhecimento de vidas passadas. Para isso, partiu de muitos estudos científicos até aceitar publicar as suas constatações referentes a experiências de vidas passadas. Foi professor de Medicina em várias faculdades americanas e publicou mais de quarenta ensaios científicos nas áreas de psicofarmacologia, química cerebral, distúrbios do sono, depressão, ansiedade, distúrbios causados pelo abuso de drogas e mal de Alzheimer. Diretor emérito do Departamento de Psiquiatria do Mount Sinai Hospital, em Miami, Dr. Weiss viaja constantemente para promover palestras e workshops sobre seu trabalho. Contribui para diversas publicações acadêmicas, jornais e revistas. Além disso, ele é diretor de uma clínica particular em Miami que conta com psicólogos e assistentes sociais altamente capacitados e treinados para aplicar a Terapia de Vidas Passadas. Dr. Weiss foi responsável pela popularização da Terapia de Vidas Passadas, embora ela já fosse utilizada por alguns psicanalistas na tentativa de curar pacientes com problemas psicológicos mais graves. A publicação do livro Muitas Vidas, Muitos Mestres foi decisiva para este processo. O envolvimento do Dr. Brian Weiss com a Terapia de Vidas Passadas começou em 1980 com uma paciente a quem ele chama de Catherine. 
Para saber mais sobre o autor, acesse seu site: Brian Weiss
Os livros lançados pelo autor:


Resolvi colocar alguns vídeos de Brian sobre meditação e relaxamento:



Entrevista sobre Brian Weiss:


Você já conheciam o autor? O que acharam da terapia?
segunda-feira, 24 de outubro de 2016

39° Livro: Muitas vida, muitos mestres




Titulo: Muitas vida, muitos mestres
Autor: Brian Weiss
Ano: 2009
Editora: Sextante
Páginas: 144
Classificação: Reencarnação/ Terapia de vidas passadas.

Resenha do livro: Muitas vidas, muitos mestres conta uma história real que mais parece ficção - um médico de renome coloca sua carreira em jogo ao se ver diante de evidências da reencarnação. Psiquiatra e pesquisador consagrado, o Dr. Brian Weiss viu suas crenças e sua carreira virarem pelo avesso ao tratar de Catherine, uma paciente com fobias e ataques de ansiedade. Durante uma sessão de hipnose, ela falou de traumas sofridos em vidas passadas que pareciam ser a origem de seus problemas. Cético, o Dr. Weiss não acreditou no que estava presenciando até que Catherine começou a narrar fatos da vida dele que ela jamais poderia conhecer e a transmitir mensagens de espíritos altamente desenvolvidos - os Mestres - sobre a vida e a morte.

Minha opinião: Cada vez mais creio na possibilidade de reencarnação e vidas passadas. Não só pelas coisas que leio, mais pelo que vivo. Afinal, foi pelo que vivi todos esses anos que comecei a ler sobre o assunto. Mas eu não vou mentir que cada coincidência que acontece na minha vida, sei que deixa de ser uma simples coincidência e passar a ser o " alguém do destino" me mostrando o caminho. Vou explicar porque.
Comprei esse livro logo depois do falecimento do meu pai, foi quando comecei a estudar a espiritualidade em si. Comprei na época achando ser de um outro autor, James Van Praagh, que tem alguns livros resenhados aqui no blog.Tinha lido um livro do James, me interessei e queria outro. Só um mês depois quando peguei para ler, percebi que não era do James, e sim do Brian Weiss. Não cheguei a ler as dez primeiras folhas do livro e deixei de lado. A alguns meses atrás por causa de um livro, relembrei o quanto esse assunto de reencarnação e terapias de vidas passadas me perseguiam na infância, mas a anos atrás o assunto não era tão publicado assim. Acabei agora me inscrevendo no curso que começa em 2017 e lendo bastante do assunto. Agora um ano e meio depois de ter pegado no livro pela primeira vez, fiz uma segunda tentativa. Não porque sabia qual era o assunto, porque nem lembro, ou por ter visto a capa, peguei somente porque ele era o mais fino que eu tinha pra ler em pouco tempo e que eu tinha largado. Para minha surpresa, cá estou eu, achando mais uma vez que o assunto me persegue como se ele quisesse me dizer algo.
Desde os doze anos ou algo assim quando encontrei na internet falando sobre a TVP achei que era o que eu tinha que fazer, havia algo ali me chamando, dizendo que era onde eu me encaixava. Pesquisei muito e como era muito nova, só achei médicos em São Paulo. Acabei esquecendo o assunto. E agora ele vem surgindo sem querer na minha vida a todo vapor. Esse livro chegou no exato momento na minha vida, algo me fez desistir de lê-lo lá na frente por uma razão. E agora ele só me deu forças para começar o tratamento e o curso e seguir adiante.
O livro conta a históra de Catherine, que podia na verdade ser qualquer um de nós, todos temos algum medo, fobia e ansiedade. E através da hipnose para realizar um tratamento mais afundo, ela volta a outras vidas, as vidas passadas. E nelas descobre o porque de alguns "problemas" nessa vida. E esse é o exato ponto que eu me encaixo. Eu nasci e cresci sabendo que eu era diferente, que tinha poderes, e que tinha vivido outras vidas. Tenho lembranças de muitas coisas. Ter lido esse livro foi esclarecedor, me deu forças para procurar uma pessoa especializada na área que possa me ajudar a fazer o mesmo. Catherine ao final do tratamento consegue resolver seus problemas e saber de onde eles vieram. E exatamente onde quero chegar.



E vocês o que acharam do livro?
sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sobre os autores: Do livro " O presente do meu grande amor - Parte 2


Vamos para a segunda parte dos nossos autores best-sellers?


Kelly Link: Escritora de contos estaduniense, Naceu em Miami - Florida e hoje mora em Northampton- Massachuetts. Seu foco são combinados entre ficção, fantasia, mistério e realismo. Para saber mais sobre a autora, acesse seu site: Kelly Link.

Myra McEntire: Myra McEntire sabe as letras de cada hit R&B da última década, mas desde que ela mora em Nashville, a capital da música country, seus talentos líricos são infelizmente desvalorizados. Ela escolheu, em vez disso, canalizar suas "habilidades" na criação de histórias. Ela é um fã ávida de Doctor Who. Para saber mais sobre a autora, acesse seu site: Myra McEntire.

Stephanie Perkins: Ela nasceu na Carolina do sul, morou no Arizona, San Francisco e Atlanta, hoje vive na Carolina do Norte. Ela trabalhou com livros - primeiro como vendedora, depois como bibliotecária e agora como romancista. Adora café moca, contos de fadas, música alta, caminhadas na vizinhança, chá de jasmim e tirar sonecas à tarde. E beijar. Seu primeiro livro – Anna e o Beijo Francês – foi lançado em 2010 pela Dutton Books, Pra saber mais sobre a autora, acesse seu site: Stephanie Perkins


Rainbow Rowell: Ela nasceu em 24 de fevereiro de 1973 em Omaha. é uma autora norte-americana de livros jovens-adultos ou adulto-contemporâneo. No inicio foi colunista de um jornal e depois resolveu trabalhar com publicidade. Seu primeiro livro foi publicado em 2011 entitulado de " Attachament". Suas obras Eleanor & Park e Fangirl receberam muitos elogios de crítica e público em 2013. Ela é casada e tem dois filhos. Seus quatro livros já foram publicados no Brasil pela editora Novo Século. Em Portugal, a Edições Chá das Cinco publicou Eleanor & Park, Fangirl em 2015 e Anexos, Por um Fio em 2016. Para saber mais sobre a autora, acesse seu site: Rainbow Rowell.

Laini Taylor: Taylor nasceu na Califórnia, tem uma licenciatura em Inglês da UC Berkeley. Ela atualmente vive em Portland, Oregon, com seu marido e filha. Sempre quis ser uma escritora, mas só 35 anos mais tarde, foi capaz de terminar seu primeiro romance. Em 2004, ele escreveu um romance gráfico para a Image Comics , ilustrado por seu marido Jim Di Bartolo. Seu primeiro romance Dreamdark: Blackbringer foi publicado em 2007. Ela é mais conhecida para o trilogia Daughter of Smoke and Bone gênero romance adulto jovem. O primeiro livro foi escolhido pela Amazon como os melhores filhos do livro de 2011. Para saber mais sobre a autora, acesse seu site: Laini Taylor.

Kiersten  White: A autora do best-seller do NYT Paranormalcy. Ela tem um marido e dois filhos pequenos e mora perto do mar, onde sua vida é perfeitamente normal. Esta abundância de coisas normais a levou a um fascínio com todas as coisas paranormais, incluindo mas não limitado a vampiros, fadas e cultura pop.
quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Sobre os autores: Do livro O presente do meu grande amor - Parte 1


Dessa vez a bio de nossos autores será um pouco diferente, afinal essa semana resenhei o livro " O presente do meu grande amor" que conta de 12 contos natalinos e logo, doze autores diferentes. Então separei os autores e fiz uma bio resumida sobre a vida deles, para não ficar monótono e chato. Como terão outros livros com esses autores prometo fazer uma bio deles caprichada!


Holly Black: Escritora norte-americana que mora em West Long Beach, New Jersey. Nasceu em Novembro de 1971. Ela ficou mundialmente famosa após escrever a série de livros As Crônicas de Spiderwick. É uma grande colecionadora de livros raros de folclore, bonecas assustadoras e chapéus excêntricos. Em seus primeiros anos de vida ela morou em uma mansão abandonada em estilo vitoriano com sua mãe, que contava a ela várias estórias de fantasmas e fadas. Seu primeiro livro, Tithe: A Modern Faerie Tale, foi muito bem recebido pela crítica e foi publicado no outono de 2002. A escritora só viria a ficar famosa um pouco mais tarde, com o lançamento do livro As Crônicas de Spiderwick: O Guia de Campo, primeiro livro da série As Crônicas de Spiderwick.  Para saber mais da autora, acesse seu site: Holly Black.

Ally Carter:  Ally nasceu em Oklahoma, vive e trabalha no Centro-Oeste dos Estados Unidos. Seu primeiro romance publicado em 2005 e a continuação do romance em 2006. Publicou novelas em 2013 e não parou mais de escrever. Seus livros foram publicados em mais de 20 países, aparecendo na lista de best-seller do New York Times entre outros. Para saber mais da autora, acesse seu site:Allyy Carter.

Matt De La Peña: Autor de seis romances, hoje vive em Brooklyn, NY. Ele ensina escrita criativa e visita escolas secundárias e faculdades de todo país. Para saber mais sobre o autor, acesse seu site: Matt De La Peña.


Gayle Forman: Gayle nasceu em 5 de junho de 1970, mora no Brookyn- NY. Ficou conhecida com a publicação em 2009 do livro " Se eu ficar" que ficou em 1° lugar na lista best seller do New York Times que acabou virando filme. Sua carreira começou escrevendo para a revista Seventeen sempre focado nos jovens e preocupações sociais. Depois tornou-se jornalista freelancer de algumas revistas. Em 2002 rodou o mundo com seu marido acumulando ideias para o próximo livro, um diário de viagem. Em 2007 escreveu seu primeiro romance. Forman ganhou o prêmio de Livro do ano em 2009 e foi vencedor do prêmio de Honra do Indie Choice Awards em 2010. A sequência do livro foi lançado em 2011, intitulado de " Para onde ela foi". Em 2013 lança o livro " Apenas um dia", dando sequência nos livros " Apenas um ano" e "Apenas uma noite". Em 2015 lançou também " Eu estava aqui". Agora Forman trabalha no seu primeiro romance adulto. Para saber mais da autora, acesse seu site: Gayle Forman.

Jenny Han: A autora nasceu na Virgínia- EUA, e mora no Brooklyn- NY. Cursou mestrado em escrita criativa pela New School. Seu primeiro livro (Shug) foi publicado enquanto ainda estava na faculdade. Logo depois publicou uma trilogia para jovens adultos, tornando-se posteriormente um best-seller do New York Times. Em 2014 lançou o livro " A todos os garotos que já amei" Em 2015 lança a continuação, "P.S: Eu ainda amo você". Para saber mais sobre a autora acesse: Jenny Han.

David Levithan: Autor infanto-juvenil. Seu primeiro livro foi publicado em 2003. Um dos fundaadores da editora PUSH. Autor polêmico por sempre escrever romances heterossexuais. Para saber mais sobre o autor, acesse: David Levithan

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Frases do livro: O presente do meu grande amor. - Doze histórias de natal.


" Do lado de fora, pode haver renas voando em frente á lua. Do lado de fora, pode haver perguntas com respostas erradas e mentiras que deveriam ser contadas. Do lado de fora, pode estar frio. Mas eu estou aqui. Estou aqui, e tudo que preciso saber é que vou abraçá-lo e ele vai me abracar até eu ficar quente de novo, até saber que estou onde deveria estar."

" Se eu gastar toda a minha decepção antes do café da manhã, o que vai sobrar para o resto do dia?"

" Vou aprender mil maneiras de fazê-la rir. Seus sorrisos serão a doçura do meu hidromel; seu encantamento, meu deleite."

" Eles tinham outras coisas a fazer: todas as coisas. Todas, sonhadas e não sonhadas, nos quatro cantos do mundo."
terça-feira, 18 de outubro de 2016

38° Livro: O presente do meu grande amor - doze contos de natal


Titulo: O presente do meu grande amor - Dez histórias de Natal
Autores: Parte 1/ Parte2
Organização: Stephanie Perkins.
Ano: 2014
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Classificação: Conto americano

Sinopse do livro: Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve, presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite, vai se apaixonar pelo livro. Nestas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa se você comemora o Natal, o Ano Novo, o Chanucá ou o solstício de inverno. Casais de formam, famílias se reencontram, seres mágicos surgem e desejos impossíveis se realizam. O pessimismo não tem lugar neste livro, afinal o Natal é época de esperança.


Minha opinião: Para começar, tem algo mais bonito que essa capa? Natal foi a melhor época do ano na minha vida, até eu perder meu pai, e tudo virar um vazio triste. Talvez por isso esse livro tenha me chamado tanta atenção. Talvez eu tenha tentado lembrar de como eu tinha boas lembranças dele.
O livro conta de doze contos sobre a época do natal, seja ele comemorado como solstício de inverno, Chanucá ou Ano novo...
Os contos em ordem são:

 01 - “Meias-noites”, de Rainbow Rowell: (*****)
Mags e Noel são dois amigos inseparáveis, que vão crescendo, se transformando com o passar dos anos e das festas de ano-novo..Todos os finais de ano, eles se reúnem no porão da casa de Alícia. Brincam, conversam e um se preocupa com o outro. Como ele é alérgico, ela está sempre atenta ao que seu amigo Noel come. O tempo passa, terminam o ensino médio e cada um vai à Faculdade escolhida. Ficam meses afastados , no período de aula. Encontram, como de costume, todo final de ano, na casa de Alícia. Mags acha que tudo está diferente, e, pela primeira vez, eles dançam ao som da música de quando se conheceram nesse porão. Há anos são amigos e descobrem que se amam. 
- Primeiro conto do livro, e você já quer que todos sejam iguais, falando de romance e esperança, a autora mostrou que a distância e sentimento não separa ninguém, mesmo meses afastados. Fiquei apaixonada pelo conto. E desde o primeiro momento querendo que eles ficassem juntos.

02 - “A dama e a raposa”, de Kelly Link:(****)
Esse conta a história de Miranda, cuja mãe está na prisão. Ela aproveita a companhia da madrinha, Elspeth, para passar o Natal na casa dos Honeywell. Enquanto ela e Daniel , de 11 anos, filho de Elspeth, brincam com os presentes debaixo da árvore de Natal, ela nota um vulto que a observa pela vidraça embaçada devido a neve que cai lá fora. Miranda sai, o vê de costas, lhe diz que está muito frio. Tanto insiste em que lhe diga o nome que conseguiu.O nome dele é Fenny. Ela entra e indaga aos presentes sobre esse nome que ouviu, mas ninguém sabe quem é. Chega outro Natal, e outro… Que mistério! Afinal, quem é esse cavalheiro que surge na noite de Natal? Agora Miranda tem 18 anos. Ela já conseguiu se aproximar dele, mas ele desaparece. Ela vai precisar da ajuda de alguém para desvendar esse mistério… Miranda em um natal simula então a neve para que posa voltar a ver o garoto misterioso.
- Assim como o conto acima, ele mostra muito romantismo, mistério e ao mesmo tempo um pouco de comédia pelos dois. Achei incrível a escolha de cada conto de Stephanie.  

03 -  “Anjos na neve”, de Matt de la Peña: (*****)
É a história de um rapaz que fica sozinho no apartamento de seu amigo no feriado do Natal. Ele está cuidando da gata do amigo e também tem seus motivos para não voltar pra casa. Enquanto ele acha que está totalmente sozinho, há uma garota no andar de baixo que logo fica interessada nele. Os dois meio que se tornam amigos e o feriado não parece mais tão solitário.
- Amei esse conto.  Primeiro porque acaba acontecendo sempre com alguém, ficar sozinho no ap ou em casa em datas especiais e no fim sempre acontecer algo legal, ou não. E foi por isso que eu gostei dele. O fato dele ter encontrado uma garota do andar de baixo e ter todo um envolvimento com ela, não passando o natal sozinho. Achei romântico e ao mesmo tempo mega engraçado o conto, foi um dos meus preferidos.

 04- “Encontre-me na estrela do Norte”, de Jenny Han:(*)
Natalie foi resgatada pelo próprio Papai Noel e agora vive no Pólo Norte junto com vários duendes, mas ela sabe que é diferente, é humana e tem uma paixonite secreta pelo melhor amigo, que é um duende. Esse conto é muito fofinho e tem uma pegada mais fantasiosa. Eu adorei ler algo escrito pela Jenny Han, já tinha lido muitas críticas positivas sobre ela.

05- “É um milagre de Yule, Charlie Brown”, de Stephanie Perkins:(***)
A personagem principal mora com sua mãe em um apartamento lotado de coisas e não vê a hora de se mudar novamente, ela também faz vídeos, nos quais usa a voz de outras pessoas para inventar personagens. Então, um dia, na venda de árvores de Natal, ela encontra um garoto com uma bela voz e decide falar com ele. Os dois têm um começo meio conturbado e repleto de provocações.

06- “Papai Noel por um dia”, de David Levithan:(***)Conta a história do garoto Connos que insiste com o namorado, um judeu, para se vestir de Papai Noel para surpreender sua irmãzinha Riley.
Apesar de relutante, aceita o convite, porém, Lana,12 anos, irmã de Connos o surpreende colocando os presentes sob a árvore. Ela está prestes a estragar a surpresa,quando surge, inesperadamente, na sala Riley.

07- “Krampuslauf”, de Holly Black:(**)
É festa de ano-novo,em que um garoto fantasiado de Krampus, o companheiro demoníaco de Papai Noel, muda o rumo da história. “Era um evento beneficente, com chocolate quente…” Tudo foi transformado em algo completamente diferente do verdadeiro espírito da Krampusnacht, que deveria servir para apavorar as pessoas. Festa de gente rica como Roth fazia, só que ele não sabia a origem da história. Penélope e os amigos (de escola pública) eram considerados marginais por Roth (ele a deixara por outra garota), então eles elaboram um plano para desmascarar Roth… Conseguirão?

08-  “O que diabo você fez, Sophie Roth?”, de Gayle Forman:(*****)
É a história de uma garota de Nova York que vai estudar em uma Universidade do interior. Não se adapta e sente-se uma estranha. Ela precisa,de alguma forma mudar, pois é bolsista, e precisa estudar.
Os meses passam e chega a hora para voltar para casa. Dias antes de embarcar, conhece Roussel, um garoto treinado para irritar. Inicialmente, ela tira conclusões falsas sobre ele, mas descobre que ele é o único daquele lugar que a compreende…
- Mais um romance, como não amar?

09- “Baldes de cerveja e menino Jesus”, de Myra McEntire: (***)
Quando uma de suas brincadeiras incendeia o palco, o cenário e os figurinos da peça de Natal da igreja, Vaughn é obrigado a ajudar na montagem de uma nova peça. No dia da apresentação tudo começa a dar errado, e o menino se desdobra para realizar a peça e impressionar Gracie, a filha do pastor. 
- A história é bem legal, porém tudo se resolve muito facilmente, sem que o leitor se desespere para saber o que irá acontecer. Mas ainda assim eu gostei muito do conto, pelo ponto que ele se desdobra para mostrar a garota do que ele é capaz.

10- “Bem-vindo a Christmas, Califórnia”, de Kiersten White:(*****)
Maria não aguenta mais. Como se não fosse suficiente tudo girar em torno do Natal, ela tem que trabalhar em uma lanchonete com o tema natalino. Ela pretende partir assim que puder e junta cada gorjeta para isso, até que um dia Joe, o chef da lanchonete morre, e outro chef entra em seu lugar. Um garoto mais novo, fofo e muito inteligente, que faz o coração de Maria bater mais forte. Ela não sabe mais se quer ir embora ou se realmente achou seu verdadeiro lar.
- O melhor conto do livro. E eu realmente não queria que ele tivesse fim. Me encontrei na personagem Maria. Carismática e ao mesmo tempo irônica, não deixa de ser uma ogra romântica. Trabalha em uma lanchonete de uma cidade pequena que tem exatamente o nome de Natal em inglês. Junta cada centavo que ganha na lanchonete para ir embora, já que ela acha que a mãe não liga pra ela e o novo namorido da mãe não lhe suporta. Até conhecer o novo mágico chef que descobre os pratos que os clientes realmente querem comer sem eles fazerem o pedido. Transformando tudo em amores na lanchonete. Maria se desmancha pelo novo chef. Descobre que a mãe o o namorido na verdade estavam guardando tudo que tinha pra ela e resolve não ir embora. É o tipo de conto que seus olhos se enchem de lágrimas, seu coração dispara e você sente como se fosse a personagem. Extraordinário.

11- “Estrela de Belém”, de Ally Carter:(*****)
Essa é a história de Hulda estudante de intercâmbio islandesa que está no aeroporto para embarcar para Nova York, onde mora Kend. Desiste, na última hora, e, para sua sorte, uma desconhecida se oferece para trocar de passagem. Lydia é seu nome. Chegando ao destino, é recebida pela família de Kend. Ela procura fingir que é Hulda, mas só não engana a Kend, é claro. Não tendo como fugir da família de Kend, ela vai esperar passar o Natal. Lydia tem, à frente, uma desafiadora história a ser revelada para esclarecimento dos fatos. 
- Outro conto muito fofo, onde envolve romance, muito sentimento, perdas e lutas. Na hora que li os personagens trocando as passagens eu já imaginava que esse conto seria muito bom, mais ainda assim ele me superou! Lydia quer muito ir embora daquele fim de mundo, mas com o tempo descobre o sentimento que cria pela família, mais ainda pela tia de Kend, que ela descobre depois ter perdido a filha em um acidente. Lydia era cantora, e seu tutor acaba descobrindo onde ela está e vai atrás!Com que será que ela decide ficar? Será que ela enjoou da cidade pequena ou agora quer ficar?

12- “A garota que despertou o sonhador”, de Laini Taylor: (***)
Neve é uma garota órfã que foi abandonada na Ilha das Penas. Já faz muitos anos. Agora é adolescente, triste e só depois que seus dois amigos morreram. Conforme a tradição na Ilha, as garotas recebem presentes nos vinte e quatro dias que antecedem o natal. Neve é triste, pobre e só; não ama ninguém e nem quer ser amada. Só espera coisas ruins (é chamada de comida de corvo). Quando ela recebeu o primeiro presente do demoníaco pastor da ilha, ela se desesperou. Tentou fugir dele, mas foi impossível. Pediu a proteção do Sonhador cuja função é preservar o mundo. Sonhou com ele dizendo-lhe que ia libertá-la e exaltá-la. Teria o Sonhador recursos para cumprir a promessa ?

Então, dos doze contos, gostei mesmo de seis ( coloquei a nota como *). Não é que os contos sejam ruins, uns são melhores que os outros, chamam mais atenção. Não achei nenhum muito ruim. Acho a leitura do livro muito boa, os contos são curtos,  eu tentei ler um conto por dia, por isso demorei mais para fazer a resenha esses dias.
E vocês já leram? O que acharam?
sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Look do dia: My camera bag

Tava meio sumida do Look do dia né?
Mas é que minha fotografá é bem enrolada posso dizer assim!kkk
Já tem um tempinho que comprei pelo Ali express essa bolsa da câmera lindona!
Estou mega apaixonada pela bolsa por vários motivos e vou dizer todos a vocês!



Passei um tempão escolhendo uma bolsa para câmera, e sempre fiquei com medo de comprar um valor alto de um produto e acabar não chegando ou demorando anos! Por isso demorei um pouco de realizar a compra! Mas para minha surpresa nem demorou muito e chegou, que era meu maior medo!



 Meu segundo maior medo era que o material da bolsa fosse ruim! E ter esperando tanto por algo que não ia durar. Mas outra vez meus medos foram água a baixo. O material é muito bom e removível, o que fica bem melhor.


 
Tenho falado muito aqui sobre ser caro. Mas na minha cidade e na internet encontrei aquelas bolsas de câmera preta e feia na faixa de 60,00 a 97,00 reais. Costumo apelidar aquelas bolsas de chama ladrão! Já essa que comprei, que não aparenta ser de câmera logo de cara, e é bem mais dividida que as outras que encontrei, paguei algo em torno de 120,00. Porém fui taxada aqui nos correios e dei mais um valor de 35,00. Mesmo não gostando de ter dado o valor da taxa, ainda compensava muito a bolsa. Já que minha cidade está o caos do assalto, e eu não saia com minha câmera devido a isso.




A bolsa vem com uma divisória dentro que pode ser retirado como dá para ver na foto, o que significa que se eu quiser usar em outra bolsa isso é mega viável. Dá para ficar melhor Tuanny? Dá sim! Dentro da divisória existe mais duas barrinhas que também são removíveis, para que? Para ter a opção de guardar a câmera desmontada ou deixar já deixar pronta para os flashs!
Nela coube minha câmera montada e os cabos, carregadores.. E nessas duas bolsinhas da frente costumo colocar documentos, dinheiro, celular e fica muito bom!

Não tenho do que reclamar, a bolsa é perfeita! O vendedor você encontra aqui!
Quem tiver interesse é só ia lá dá uma olhada!

O look de hoje:
Blusa: Zyon/ Short: Handara/ Sandália: Miezko/ Relógio: Timex
quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Halloween - Parte 4 - Nail art

Halloween está chegando, e já falamos das fantasias, de make e acessórios! Não podia faltar agora como deixar nossas unhas a caráter!
Além das unhas de uma única cor e que combine com a roupa, ou as básicas unhas pretas, resolvi deixar ideias de unhas bem legais para vocês!












Gostaram da ideia? Na semana que eu for para a festa vou mostrar tudo lá no insta para vocês!

Atualizações do Instagram

SnapWidget · Free Widget